Cuidados na gravidez garante a saúde do bebê e da mãe

Acompanhamento médico

Pré-natal, alimentação equilibrada e exercícios físicos são fundamentais para uma gestação saudável.

Para garantir uma gestação tranqüila e a segurança do bebê, é fundamental que a futura mãe tome cuidados especiais. Fazer o acompanhamento pré-natal e adotar um estilo de vida saudável, evitando o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros, são algumas dessas práticas.

Outra forma de suprir as necessidades diárias do organismo durante a formação do bebê é manter uma alimentação balanceada. Para isso, deve-se incluir o consumo de proteínas (carnes magras, aves, peixes), ferro (leguminosas como feijão, grão-de-bico e soja), vitaminas do complexo B (tomate, ervilha e brócolis), cálcio (leite, iogurte e queijos) e grãos e cereais (pães, arroz, aveia e massas). O consumo de fibras, presentes nas frutas e nos cereais integrais, também é essencial, pois auxilia no funcionamento do intestino, que fica mais lento nessa fase. Já os alimentos com excesso de açúcar, sal, gorduras e aditivos químicos devem ser evitados.

Como o tempo de digestão é maior na gestação, o ideal é se alimentar com moderação e a cada três horas, em seis refeições ao dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Isso pode amenizar sensações como azia e gases e controlar melhor o ganho de peso, que deve ficar entre 9 e 12 quilos até o fim da gravidez. Outra dica é comer carnes e legumes sempre bem cozidos e lavar bem as verduras, para não haver contaminação por toxoplasmose.

Os exercícios físicos também são recomendados para aliviar eventuais desconfortos trazidos pelas mudanças no organismo. “Eles ajudam a gestante a relaxar, melhoram a postura, diminuem a dor lombar e o risco de desenvolver diabetes gestacional”, explica Rosiane Mattar, membro da Comissão de Gestação de Alto Risco da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

No caso de gestantes que não estão acostumadas a se exercitar, recomenda-se iniciar a atividade após o primeiro trimestre de gravidez, período que requer maior cuidado por conta da formação do embrião. Os exercícios devem ser leves e de baixo impacto, como caminhadas, natação e hidroginástica.

Outro ponto de atenção é evitar situações de estresse, que podem ocasionar o parto prematuro e agravar casos de hipertensão e diabetes. Todos esses cuidados ajudam a garantir maior bem-estar e saúde para a mãe e o bebê durante a gestação.

Ao longo da gravidez, é necessário realizar diferentes exames. Existem os testes obrigatórios, que toda gestante deve fazer, e os específicos, solicitados em casos de risco, como mulheres acima de 35 anos, com histórico de doenças genéticas ou problemas como diabetes e hipertensão.

É importante ressaltar que os exames são solicitados pelo ginecologista durante o acompanhamento pré-natal e a necessidade de testes específicos varia de acordo com a avaliação médica e as condições da gestação.

O diretor executivo da Astir, SGT PM Alan Mota informa que o ambulatório proporciona consultas médicas com especialistas em ginecologia e obstetrícia. “A relação dos profissionais especialistas encontra-se em nosso site, porém em caso de emergência a mamãe deve ser encaminhada para o Serviço de pronto Atendimento (SPA), que funciona 24 horas, 7 dias por semana, com médico, equipe de enfermagem e outros. Os telefones do ambulatório são: 3223 36 86 e celular funcional (Claro) 9 9285-6131; do Serviço de Pronto Atendimento: 3229-0392 e enfermeira chefe 9 8403-5088, finalizou Alan.

Fontes: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e ObstetríciaMinistério da SaúdeUniversidade Federal de São Paulo (Unifesp)Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil  / http://www.brasil.gov.br/saude/2011/10/cuidados-na-gravidez-garantem-a-saude-do-bebe-e-da-mae

Republicação, adaptação e edição de texto: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

 

DICA DE SAÚDE – Dieta do diabetes; Como fazer e cuidados necessários

Legumes podem ser consumidos à vontade e frutas pedem mais atenção

A dieta ideal para diabéticos varia para cada pessoa. Os mitos que cercam a alimentação dos diabéticos são incontáveis. Dizem que o portador de diabetes não pode comer carboidratos ou nenhum tipo de açúcar e deixar de lado até mesmo a carne vermelha.

Um plano alimentar completo só pode ser oferecido se a pessoa fizer uma visita a um profissional qualificado, que observará os níveis glicêmicos e de colesterol, o peso, a atividade física do paciente e suas preferências alimentares. Entretanto, algumas recomendações são iguais para todos, como fazer três refeições por dia intercaladas com pequenos lanches e preferir por alguns alimentos em detrimento de outros.

Por isso, separamos algumas dicas de alimentos e cuidados necessários ao planejar a sua alimentação:

Arroz, pães e massas integrais

A endocrinologista e nutróloga Ellen Paiva, do CITEN, explica que os carboidratos complexos presentes nesses alimentos são digeridos mais lentamente pelo organismo, liberando a glicose em pequenas doses. Isso é benéfico para o diabético, que não terá picos de índice glicêmico quando comer esse nutriente.

Porém, lembre-se de preferir sempre aos integrais, pois eles são ricos em fibras, que melhoram a ação da insulina.

Atenção às frutas

“As frutas, muitas vezes, são uma armadilha para a dieta dos diabéticos”, conta Ellen. É muito comum a pessoa achar que pode consumir frutas à vontade, pois são alimentos muito saudáveis. Mas, na verdade, não podem.

Todas as frutas têm carboidratos simples, como a glicose. Só que, por conta das fibras e outros diversos nutrientes presentes nelas, podem ser consumidas em quantidades maiores que as de outros carboidratos simples.

A recomendação para os diabéticos é ingerir no máximo três a quatro porções de fruta por dia, e sempre optando pelas menos calóricas. “As frutas podem dificultar a perda de peso nos obesos e a titulação da insulina nos pacientes insulino dependentes”.

Sucos

Embora muito saudáveis, os sucos geralmente consomem as três porções de frutas que o diabético tem direito durante todo o dia. “Um exemplo disso é suco de laranja. Um copo equivale em calorias ao consumo de um bombom e tem quantidade de glicose capaz de elevar em muito a glicemia do paciente”, alerta a nutróloga.

A recomendação, portanto, é que as frutas sejam consumidas como tal, em lanches e sobremesas. Durante refeições, o ideal é evitar o consumo de líquidos ou optar pela água.

Leite desnatado

Para reduzir o consumo de gordura, a recomendação é trocar leite integral por desnatado e preferir derivados mais magros. Não caia no mito de que a versão desnatada do leite tem menos quantidade de cálcio e proteínas que a integral. Na verdade, você ingere apenas menos gordura e não perde os benefícios.

Cortes magros de carne vermelha

A maior riqueza das carnes vermelhas são os micronutrientes, como o ferro e a vitamina B12, já que as proteínas podem ser facilmente encontradas em carnes brancas e proteínas vegetais. Por conta disso, a carne vermelha não só pode como deve ser consumida, mas evite as opções que possuem uma quantidade muito grande de gorduras saturadas, como filé mignon, picanha e contra filé. “Os melhores cortes de carne são o lagarto, o patinho e a alcatra”, conta Ellen.

Peixes

Eles são os mais indicados entre as carnes brancas. Os melhores são aqueles ricos em gorduras boas, como trutas, salmão e sardinha. “Esses peixes, apesar de saudáveis, são muito calóricos e, por isso, as porções devem ser controladas e nunca preparadas fritas ou empanadas”, lembra a nutróloga

Legumes e verduras à vontade

Ricos em fibras, vitaminas e minerais antioxidantes, os legumes e verduras são importantes à nutrição e à saúde de todas as pessoas, mais ainda dos diabéticos, cuja dieta deve ser rica e variada nesses alimentos. “A regra é colorir o prato e variar de acordo com legumes e verduras da estação”, aconselha Ellen.

Recomendações

O diabético pode estar fazendo uma dieta correta e rica em alimentos saudáveis, mas, se exagerar nas porções, estará caminhando na direção oposta. O excesso de calorias é nocivo ao diabético, mesmo que ele esteja comendo os alimentos mais indicados.

Escrito por Carolina Serpejante Redação Minha Vida Em 12/7/2013

Fonte: http://www.minhavida.com.br/alimentacao/listas/13411-dieta-do-diabetes-como-fazer-e-cuidados-necessarios

Imagens: Meramente ilustrativas (Google)
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

ATENÇÃO – As informações contidas nessa apresentação são de responsabilidade do site em fonte, a ASTIR se exime de qualquer informação contida no mesmo. (Nota da assessoria de imprensa)

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

DICA DE SEGURANÇA – Cuidados com o gás de cozinha

Saiba como usar o como usar o gás de cozinha de maneira segura para prevenir acidentes.

Imagem – Site da fonte

Os cuidados com o gás de cozinha começam logo após a compra do botijão. Quando receber o recipiente, verifique se ele está em boas condições. Não aceite botijões amassados, enferrujados ou com o lacre rompido, devolva ao fornecedor.

ATENÇÃO: Em caso de incidentes ligar para o Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Rondônia, telefone 193, os quais são especialistas.

botijão de gás pode ficar dentro ou fora de casa, mas sempre em local ventilado, protegido do sol, da chuva e da umidade e longe de produtos inflamáveis, fontes de calor e faíscas.

Outra dica fundamental é usar os materiais corretos na hora da instalação do botijão de gás. Utilize somente equipamentos fabricados segundo os padrões técnicos de segurança.

A mangueira tem a função de levar o gás do botijão ou da instalação embutida na parede até o fogão. Ela deve ser feita em PVC transparente e ter uma faixa amarela com todas as informações do produto (aprovadas pelo INMETRO).

Para ajustar e fixar a mangueira ao fogão use somente às abraçadeiras, pequenos anéis que geralmente acompanham as mangueiras oficiais. Jamais use arame, fitas ou outros materiais que podem danificar ou até perfurar a mangueira e causar vazamentos.

Nunca passe a mangueira por trás do fogão. O calor danifica o plástico, o que aumenta o risco de vazamentos. Se a entrada do fogão precisar ser modificada, o ideal é chamar a assistência técnica do fabricante ou um profissional especializado no serviço.

O regulador de pressão serve para reduzir e controlar a pressão com que o gás sai do botijão para alimentar os queimadores. Já o registro, é um dispositivo que bloqueia o fluxo do gás do botijão para o fogão e deve permanecer sempre fechado quando o gás não estiver sendo usado. Depois de instalar o regulador, gire a “borboleta” usando apenas as mãos até ficar firme, jamais use ferramentas.

Evitando acidentes

Os vazamentos são as principais causas de acidentes com gás de cozinha. Eles podem provocar explosões, incêndios, queimaduras ou asfixia, por isso devem ser evitados através de medidas simples.

Após a instalação, um truque para saber se o gás está vazando é passar uma esponja com água e sabão sobre a junção do cano com o botijão e do cano com o fogão. O aparecimento de bolhas na espuma é um sinal de que a operação de instalação deve ser repetida.

Se mesmo assim o vazamento de gás persistir, não acione interruptores elétricos, não ligue aparelhos elétricos, não acenda fósforos ou isqueiros e não fume no ambiente. Leve o botijão para fora da residência e chame imediatamente a empresa que entregou o gás.

Fonte: https://www.dicasdemulher.com.br/cuidados-com-o-gas-de-cozinha/
Transcrição: Jornalista Wilson Souza
Imagem: Site da fonte

EM CASO DE DÚVIDAS LIGUE 193. CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO ESTADO DE RONDÔNIA, o qual poderá ORIENTAR da maneira correta o procedimento a ser realizado.

Escrito por Deborah Busko

DICA DE SAÚDE – Cuidados ao usar água sanitária

O hipoclorito de sódio e a água sanitária podem ser corrosivos à pele e tecidos, principalmente devido ao seu poder oxidante e à sua alcalinidade. Por isso, devem ser manuseados com cuidado.

Imagem meramente ilustrativa (Google)
  • Contato com os olhos – Lavar em água corrente por 10 a 15 minutos. Se você tiver a sensação de “areia nos olhos”, “vista embaçada”, procure um oftalmologista, porque pode ser conjuntivite química
  • Contato com a pele – Lavar em água corrente por 10 a 15 minutos. Se você tem a pele sensível a produtos de limpeza, use luvas ao mexer com o produto, porque ele pode causar vermelhidão, alergia e até queimadura. Caso isso aconteça, procure um dermatologista.
  • Ingestão – Não provoque vômitos. Tome gelatina líquida ou clara de ovo, e procure um médico.
  • Inalação em ambiente fechado – saia do local imediatamente e, se você sentir falta de ar e mal-estar, procure um médico.

Cuidados básicos

  • Ao comprar água sanitária, leia atentamente o rótulo, que deve conter: o registro no Ministério da Saúde, o nome e o endereço do fabricante, o nome do produto, a data da fabricação e o prazo de validade.
  • Guarde a água sanitária em recipiente fechado e em local ventilado e longe de raios solares e do calor.
  • Nunca misture água sanitária com vinagre, ácido muriático ou agente de limpeza. Pode haver liberação de gases prejudiciais à saúde.
  • Não use o hipoclorito de sódio direto na pele.
  • Mantenha produtos à base de cloro longe das crianças e animais domésticos.
  • Não reutilize a embalagem.
  • Use apenas as dosagens aqui prescritas. Dosagens não controladas podem prejudicar a saúde.

Fonte: http://www.abiclor.com.br/posicionamentos/riscos-a-saude/
Transcrição: Jornalista Wilson Souza
Imagem: Meramente ilustrativa (Google)
Formatação e publicação: Stanley Monteiro – Website

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

Corpo de Bombeiros alerta população sobre cuidados nas atividades em rios de forte correnteza em Rondônia

Nesta época de inverno amazônico, aumentam os riscos de afogamento em rios e o Corpo de Bombeiros Militar (CBM) alerta para os cuidados que as pessoas devem ter com as crianças, nas pescarias, nos passeios de barco e nas atividades esportivas realizadas com caiaque nas cachoeiras do estado.

Com relação as crianças, o capitão BM Odoni Savegnago explicou que os pais devem ter cuidados para que elas não se aproximem das margens dos rios sozinhas, principalmente neste momento que os rios estão com forte correnteza; se a pessoa for fazer passeio ou travessia de rios, deve usar colete salva-vidas quando estiver em embarcações ou barcos recreios; no caso dos passeios de caiaque, nunca se esquecer também do capacete.

CLIQUE AQUI PARA LÊ A MATÉRIA NA ÍNTEGRA.

Gás – Cuidados com o gás de cozinha

Saiba como usar o como usar o gás de cozinha de maneira segura para prevenir acidentes.

Os cuidados com o gás de cozinha começam logo após a compra do botijão. Quando receber o recipiente, verifique se ele está em boas condições. Não aceite botijões amassados, enferrujados ou com o lacre rompido, devolva ao fornecedor.

botijão de gás pode ficar dentro ou fora de casa, mas sempre em local ventilado, protegido do sol, da chuva e da umidade e longe de produtos inflamáveis, fontes de calor e faíscas.

Outra dica fundamental é usar os materiais corretos na hora da instalação do botijão de gás. Utilize somente equipamentos fabricados segundo os padrões técnicos de segurança.

A mangueira tem a função de levar o gás do botijão ou da instalação embutida na parede até o fogão. Ela deve ser feita em PVC transparente e ter uma faixa amarela com todas as informações do produto.

Para ajustar e fixar a mangueira ao fogão use somente às abraçadeiras, pequenos anéis que geralmente acompanham as mangueiras oficiais. Jamais use arame, fitas ou outros materiais que podem danificar ou até perfurar a mangueira e causar vazamentos.

Nunca passe a mangueira por trás do fogão. O calor danifica o plástico, o que aumenta o risco de vazamentos. Se a entrada do fogão precisar ser modificada, o ideal é chamar a assistência técnica do fabricante ou um profissional especializado no serviço.

O regulador de pressão serve para reduzir e controlar a pressão com que o gás sai do botijão para alimentar os queimadores. Já o registro, é um dispositivo que bloqueia o fluxo do gás do botijão para o fogão e deve permanecer sempre fechado quando o gás não estiver sendo usado. Depois de instalar o regulador, gire a “borboleta” usando apenas as mãos até ficar firme, jamais use ferramentas.

Evitando acidentes

Os vazamentos são as principais causas de acidentes com gás de cozinha. Eles podem provocar explosões, incêndios, queimaduras ou asfixia, por isso devem ser evitados através de medidas simples.

Após a instalação, um truque para saber se o gás está vazando é passar uma esponja com água e sabão sobre a junção do cano com o botijão e do cano com o fogão. O aparecimento de bolhas na espuma é um sinal de que a operação de instalação deve ser repetida.

Se mesmo assim o vazamento de gás persistir, não acione interruptores elétricos, não ligue aparelhos elétricos, não acenda fósforos ou isqueiros e não fume no ambiente. Leve o botijão para fora da residência e chame imediatamente a empresa que entregou o gás.

Escrito por Deborah Busko

Fonte: https://www.dicasdemulher.com.br/cuidados-com-o-gas-de-cozinha
Imagens: Meramente ilustrativas (site da fonte)

Adaptação, distribuição e edição de Texto para o site da Astir: Jornalista Wilson Souza – DRT 1705 – MTE
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

DICA DE SAÚDE – Cuidados na gravidez garantem a saúde do bebê e da mãe

Acompanhamento médico

Pré-natal, alimentação equilibrada e exercícios físicos são fundamentais para uma gestação saudável.

Para garantir uma gestação tranqüila e a segurança do bebê, é fundamental que a futura mãe tome cuidados especiais. Fazer o acompanhamento pré-natal e adotar um estilo de vida saudável, evitando o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros, são algumas dessas práticas.

Outra forma de suprir as necessidades diárias do organismo durante a formação do bebê é manter uma alimentação balanceada. Para isso, deve-se incluir o consumo de proteínas (carnes magras, aves, peixes), ferro (leguminosas como feijão, grão-de-bico e soja), vitaminas do complexo B (tomate, ervilha e brócolis), cálcio (leite, iogurte e queijos) e grãos e cereais (pães, arroz, aveia e massas). O consumo de fibras, presentes nas frutas e nos cereais integrais, também é essencial, pois auxilia no funcionamento do intestino, que fica mais lento nessa fase. Já os alimentos com excesso de açúcar, sal, gorduras e aditivos químicos devem ser evitados.

Como o tempo de digestão é maior na gestação, o ideal é se alimentar com moderação e a cada três horas, em seis refeições ao dia: café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. Isso pode amenizar sensações como azia e gases e controlar melhor o ganho de peso, que deve ficar entre 9 e 12 quilos até o fim da gravidez. Outra dica é comer carnes e legumes sempre bem cozidos e lavar bem as verduras, para não haver contaminação por toxoplasmose.

Os exercícios físicos também são recomendados para aliviar eventuais desconfortos trazidos pelas mudanças no organismo. “Eles ajudam a gestante a relaxar, melhoram a postura, diminuem a dor lombar e o risco de desenvolver diabetes gestacional”, explica Rosiane Mattar, membro da Comissão de Gestação de Alto Risco da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

No caso de gestantes que não estão acostumadas a se exercitar, recomenda-se iniciar a atividade após o primeiro trimestre de gravidez, período que requer maior cuidado por conta da formação do embrião. Os exercícios devem ser leves e de baixo impacto, como caminhadas, natação e hidroginástica.

Outro ponto de atenção é evitar situações de estresse, que podem ocasionar o parto prematuro e agravar casos de hipertensão e diabetes. Todos esses cuidados ajudam a garantir maior bem-estar e saúde para a mãe e o bebê durante a gestação.

Ao longo da gravidez, é necessário realizar diferentes exames. Existem os testes obrigatórios, que toda gestante deve fazer, e os específicos, solicitados em casos de risco, como mulheres acima de 35 anos, com histórico de doenças genéticas ou problemas como diabetes e hipertensão.

É importante ressaltar que os exames são solicitados pelo ginecologista durante o acompanhamento pré-natal e a necessidade de testes específicos varia de acordo com a avaliação médica e as condições da gestação.

O diretor executivo da Astir, CB PM Alan Mota informa que o ambulatório proporciona consultas médicas com especialistas em ginecologia e obstetrícia. “A relação dos profissionais especialistas encontra-se em nosso site, porém em caso de emergência a mamãe deve ser encaminhada para o Serviço de pronto Atendimento (SPA), que funciona 24 horas, 7 dias por semana, com médico, equipe de enfermagem e outros. Os telefones do ambulatório são: 3223 36 86 e celular funcional (Claro) 9 9285-6131; do Serviço de Pronto Atendimento: 3229-0392 e enfermeira chefe 9 8403-5088, finalizou Alan.

Fontes: Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e ObstetríciaMinistério da SaúdeUniversidade Federal de São Paulo (Unifesp)Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative CommonsCC BY ND 3.0 Brasil  / http://www.brasil.gov.br/saude/2011/10/cuidados-na-gravidez-garantem-a-saude-do-bebe-e-da-mae

Republicação, adaptação e edição de texto: Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro
Ledgenda foto: CB PM Alan Mota – diretor-executivo da Astir (Foto Wilson Souza)

DICA DE SAÚDE – Cuidados com os saneantes (desinfetantes, detergentes, etc.) Ministério da Saúde alerta

O que são saneantes?

São todos os produtos usados na limpeza e conservação de ambientes (casas, escritórios, lojas, hospitais). Os saneantes são importantes na limpeza de casas e outras locais, pois, ao acabar com a sujeira, evitam o aparecimento de doenças causadas por germes e bactérias.

Exemplos de saneantes:

– detergente líquido: utilizado para limpar pratos, copos, talheres;
– detergente em pó e sabão em pó: tiram a sujeira das roupas;
– cera: dá brilho e proteção aos pisos e assoalhos;
– água sanitária: desinfetam pisos, azulejos, banheiros, cozinhas e branqueia as roupas;
– inseticida repelente de insetos e raticida: mata ou expulsa insetos ou roedores dos ambientes;
– desinfetante: mata germes e bactérias.

Como os saneantes são controlados?

Para serem vendidos em supermercados, lojas, mercearias ou outros locais de comércio, é necessário que as empresas fabricantes desenvolvam produtos seguros, que dêem bons resultados e com rigoroso controle de qualidade.

Todos os fabricantes têm de seguir as normas legais e técnicas e, ainda, obter autorização do Ministério da Saúde (por meio da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa), para cada produto vendido.

Saneantes clandestinos (piratas):

São aqueles que estão à venda sem a autorização do Ministério da Saúde, ou seja, produtos que não foram avaliados para comprovar sua qualidade e segurança para uso, manuseio, armazenamento. Na maioria das vezes não têm ação contra germes e/ou não limpam as superfícies porque sua formulação não possui os ingredientes próprios para isso.

Não compre nem use:

– produtos saneantes vendidos por ambulantes em carros, caminhões, etc.;
– produtos saneantes vendidos em garrafas de refrigerantes e outras bebidas;
– produtos que não tenham data de fabricação, prazo de validade e número de lote do produto;
– produtos cujas embalagens pareçam ter sido abertas, estejam amassadas, enferrujadas, estufadas, rasgadas ou furadas;
– produtos que estejam em grandes volumes (barris, tonéis) e que são passados para outras embalagens no momento da compra;
– produtos sem rótulo.

Alertas:

– guarde produtos saneantes bem longe de alimentos, bebidas, medicamentos e cosméticos;
– mantenha os produtos saneantes fora do alcance de crianças e animais, pois podem atrair a atenção, principalmente de crianças pequenas, entre 1 e 5 anos de idade, causando acidentes graves;
– não reutilize as embalagens vazias dos produtos, pois sempre ficam resíduos. Jogue fora no lixo a ser coletado pelo serviço de limpeza de sua cidade;
– mantenha os saneantes protegidos do sol, da chuva, da umidade e bem longe do calor e do fogo, pois muitos deles são inflamáveis;
– não perfure nem jogue no fogo as embalagens em aerossol e nunca vire o aerossol ou spray na direção do rosto;
– não utilize xícaras, copos ou colheres de uso doméstico para medir saneantes, a menos que sejam separados exclusivamente para isso;
– todo produto tem que ter rótulo com as informações obrigatórias definidas pela Anvisa.

O rótulo deve conter:

– nome do fabricante ou importador, com endereço completo, telefone e nome do responsável técnico;
– número do registro no Ministério da Saúde/Anvisa;
– instruções de uso;
– avisos sobre os perigos e informações de primeiros socorros;
– número de telefone para atendimento ao consumidor.

O rótulo não pode estar rasgado, descolado, manchado ou ilegível.

O presidente do Conselho Administrativo da Astir (CONSAD), SGT PM RR Fábio Macedo diz que todos os produtos saneantes e de esterilização são adquiridos os que contem aprovação dos órgãos competentes (Semusa, Agevisa e Anvisa), e as instruções de uso são seguidas a risca pelos colaboradores que os utilizam. “A nossa preocupação com a qualidade e certificação dos produtos aplicados em higienização é constante, por isso a associação tem normas para aquisição desses produtos; as aplicações dos mesmos devem satisfazer aos quesitos das técnicas em segurança do trabalho”, concluiu Fábio.

IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Fontes: Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Orientações para os consumidores de saneantes. (Folder).  http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2045-cuidados-com-os-saneantes-desinfetantes-detergentes-etc

Adaptação, distribuição e edição de texto: Wilson Souza
Publicação e formatação: Stanley Monteiro
Imagens: Meramente ilustrativa (Google)

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o médico que é o profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

 

Dicas de saúde: Cuidados com as unhas

As unhas têm função importante e, muitas vezes, a forma de cortá-las ou o uso abusivo de produtos cosméticos como esmaltes podem prejudicá-las. Veja nossas dicas para manter as unhas saudáveis:

Foto meramente ilustrativa (internet)
  • Não corte as unhas até o “sabugo”, deixe sempre uma pequena porção da borda livre.
  • Não corte as unhas dos pés pelos cantos, isso evitará que elas encravem.
  • Não retire ou afaste as cutículas, elas protegem a matriz ungueal da ação de substâncias químicas e/ou microorganismos.
  • Evite usar endurecedores de unha, eles podem causar ressecamento e manchas.
  • Evite deixar as mãos úmidas por muito tempo. A umidade excessiva favorece o surgimento de micoses como o “unheiro”.
  • Deixar de usar esmaltes durante 1 semana por mês, usando um hidratante com uréia neste período, ajuda a evitar o ressecamento e desfolhamento das unhas.
  • Tenha o seu próprio material de manicure ou use apenas material que foi esterilizado em autoclave para evitar a transmissão de micoses de unha.

Foto meramente ilustrativa (Internet)

  • Bordas das unhas desfolhando são muito comuns em mulheres que usam esmalte. Parar de usar o esmalte por dois meses e hidratar as unhas caprichadamente neste período costuma resolver o problema.
  • Se você tem o hábito de caminhar, correr, praticar esportes ou dançar e as unhas dos dedões estão ficando roxas, compre um calçado um número maior.
  • Se a unha está encravada, cortar o canto que encravou não vai resolver o problema. Quando a unha crescer, vai encravar de novo. Procure um dermatologista para o tratamento adequado.
  • Descolamento ou espessamento da unha costuma ser resultado de alguma doença, como micose ou psoríase. Procure um dermatologista para o correto diagnóstico e tratamento.

O diretor executivo da Astir, CB PM Alan Mota diz que a Astir disponibiliza médicos dermatologistas no ambulatório que atendem conforme o link do corpo clinico publicado ao lado direito do site WWW.astir.org.br. (letras minúsculas) Nosso associado (a) que apresentar algum tipo de doença nas unhas deve procurar o médico. “Eu entendo que não devemos tomar medicamentos sem receituário médico, os médicos atestam que pode ser perigoso para sua saúde”, finalizou.

 

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado antes de qualquer tratamento baseado nessas dicas.

 

Fonte: www.dermatologia.net/dicas-uteis
Pesquisa, resumo, distribuição de texto e redimensionamento de fotos: Wilson Souza
Fotos: Meramente ilustrativas