DICA DE SAÚDE – 5 alimentos que a ciência já comprovou que fazem mal

Salgadinho de pacote, bolacha recheada, refrigerante, embutidos, macarrão instantâneo. Por que insistimos em comer alimentos que sabemos que fazem mal?

Imagem meramente ilustrativa – Site da fonte

De baixo custo e fácil acesso, os produtos ultra processados são consumidos por muitos brasileiros mesmo a ciência já tendo provado as conseqüências negativas para a saúde, como o favorecimento de doenças do coração, vários tipos de câncer, obesidade e outras doenças crônicas.

O Relatório da Organização Mundial da Saúde,Alimentos e bebidas ultra processados na América Latina: tendências, efeito na obesidade e implicações para políticas públicas” destaca que os ultra processados são a provável principal causa alimentar para o aumento de peso e de doenças crônicas em diferentes regiões do mundo. E isso é cada vez mais reconhecido por pesquisadores em nutrição e saúde pública.

Os males provocados pelos ultra processados também são conhecidos dos especialistas em tecnologia de alimentos e executivos da indústria – embora a publicidade insista em veicular informações incorretas ou incompletas sobre esses produtos, atingindo sobretudo crianças e jovens. Com baixa qualidade nutricional, mas equivocadamente vistos como sendo saudáveis, são normalmente muito saborosos, por isso podem ser consumidos em excesso e causar dependência.

“A idéia que a publicidade passa de serem produtos mais práticos e saudáveis influencia bastante na escolha do público. Sem as informações corretas, muitas pessoas acreditam que estão comendo produtos de qualidade, que podem fazer bem”, afirma a nutricionista Lívia Bacharini Lima. “Devemos conscientizar a população sobre os riscos de uma alimentação não saudável, o que inclui diminuir e evitar os ultra processados” salienta.

5 alimentos que fazem mal à saúde

Para ajudá-lo a assimilar de vez os malefícios dos ultra processados, o Saúde Brasil reuniu cinco alimentos que trazem em sua formulação aditivos como conservantes, estabilizantes, corantes, edulcorantes e aromatizantes, além do excesso de ingredientes como gordura vegetal hidrogenada, açúcar e sódio. Conheça os males e conseqüências negativas para a saúde associados ao consumo excessivo de:

Salgadinhos de pacote

Salgadinhos de pacote geralmente são ricos em gorduras do tipo vegetal hidrogenada (gordura trans). Embora seja feita a partir de óleos vegetais, a gordura trans é tão ou mais prejudicial à saúde que as gorduras saturadas. Também contém muito sódio, o que os torna mais palatáveis e atrativos. Entretanto, seu consumo habitual e contínuo traz riscos para a saúde, favorecendo a incidência de doenças do coração e obesidade.

Bolacha recheada

Bolachas doces ou recheadas são ricas em açúcar simples. O açúcar é utilizado para adoçar e preservar alimentos e bebidas industrializados (processados e ultra processados), mas não é necessário ao organismo humano, pois a energia que fornece pode ser facilmente adquirida pelos grupos de alimentos fonte de carboidratos complexos (amidos). Mas o ser humano, desde que nasce, tem preferência por alimentos com sabor doce, o que explica o grande consumo e predileção por eles. Biscoitos recheados também são ricos em gorduras, em geral do tipo trans, o que agrega ainda mais risco ao consumo exagerado e contínuo.

Embutidos

Produtos derivados de carne, como nuggets, hambúrguer, salsicha, salame, linguiça, presunto, mortadela e peito de peru, possuem quantidades elevadas de gordura saturada e sódio, devendo ser evitados. Geralmente de baixo custo e longa duração, são práticos e tendem a ser preferidos quando não há a informação adequada sobre o risco de sua ingestão habitual. O consumo elevado de embutidos é considerado fator de risco para várias doenças, além de prejudicar a saúde global, uma vez que são alimentos de baixa qualidade nutricional.

Refrigerante

São bebidas industrializadas adoçadas que possuem quantidades elevadas de açúcar e baixo teor de nutrientes importantes para a manutenção da saúde. O consumo excessivo de refrigerante aumenta o risco de doenças como obesidade, hipertensão arterial, diabetes e doenças do coração. Em substituição a esses produtos, é aconselhável o consumo de frutas in natura.

Macarrão instantâneo

Conferindo o rótulo de um Miojo de 85g, encontramos mais de 30 ingredientes, a maioria deles aditivos químicos. “Costumo dizer que se um produto tem muitos nomes estranhos que não reconhecemos quando lemos, não pode ser considerado um alimento. Então é preciso evitar o consumo excessivo desse tipo de produto e valorizar a comida de verdade, em que reconhecemos os alimentos e ingredientes. Vamos descascar mais e desempacotar menos”, instrui a nutricionista Lívia Bacharini.

Como trocar ultra processados por alimentos in natura?

A regra de ouro para uma alimentação adequada e saudável, de acordo com o Guia alimentar para a população brasileira, é clara: “prefira sempre alimentos in natura ou minimamente processados e preparações culinárias a alimentos ultra processados”.  Ou seja:

  • Optem por água, leite e frutas no lugar de refrigerantes, bebidas lácteas e biscoitos recheados.
  • Prefira a comida feita na hora (caldos, sopas, saladas, molhos, arroz e feijão, macarronada, refogados de legumes e verduras, farofas, tortas).
  • Evite produtos que dispensam preparação culinária (macarrão instantâneo, sopas e salgadinhos de pacote, pratos congelados prontos para aquecer, sanduíches, frios e embutidos, molhos industrializados).
  • Fique com as sobremesas caseiras, dispensando as industrializadas.

Fonte: https://saudebrasilportal.com.br/eu-quero-me-alimentar-melhor/5-alimentos-que-a-ciencia-ja-comprovou-que-fazem-mal

Transcrição: Jornalista Wilson Souza

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o médico que é o profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

DICA DE SAÚDE – Os alimentos congelados são ruins para a saúde?

Com um número crescente de casais que trabalham fora de casa em busca de refeições rápidas, não há quase nenhum tempo para se cozinhar. Este é o momento em que as refeições congeladas, como lasanhas, pizzas e hambúrgueres vêm aumentando de consumo.

Mas serão que elas são tão nutritivas como os alimentos frescos? Os alimentos congelados em geral são ruins para a saúde? Esse post irá esclarecer essas dúvidas.

Porque os alimentos congelados são prejudiciais à saúde?

As propriedades de saúde de alimentos congelados como lasanhas, batatas fritas, carnes e sobremesas, são questionáveis, isto porque seus ingredientes não serão os mesmos do que as refeições preparadas na hora.

Uma grande preocupação é o uso de óleo de palma parcialmente hidrogenado, que pode esconder gorduras trans perigosas. Em segundo lugar, o teor de sódio também é um problema. Muitas refeições congeladas contêm entre 700 – 1.800 mg de sódio.

Com a dose máxima diária recomendada de 2300 mg de sódio, é muito difícil não ultrapassar este limite! Esse fato é muito prejudicial às pessoas com pressão arterial elevada.

E como posso amenizar os danos?

Conforme já falamos, as refeições congeladas podem não ser tão nutritivas quanto a comida recém preparada, porém você pode usar estas dicas para torná-las um pouco menos prejudiciais. Ao comprar itens congelados, evite aqueles com qualquer tipo de molho de queijo.

Estas refeições são ricas em calorias e gorduras saturadas. Além disso, uma vez que você descongelar toda ela, não volte a congelá-la novamente. Retire apenas a quantidade que você quer e volte o restante imediatamente para o freezer, mantendo o congelamento.

Evite comprar frutas congeladas ou embaladas em calda. A regra de ouro é esta: verifique os ingredientes. Os únicos ingredientes que devem ser listados nas frutas ou legumes que você está comprando são as próprias frutas e legumes.

Consuma uma grande porção de salada, frutas e vegetais, juntamente com os alimentos congelados. Assim você terá uma refeição mais nutritiva e também terá todas as suas necessidades nutricionais diárias alcançadas.

O ponto importante é que os alimentos congelados não são saudáveis por conta própria. Você deve restringir o seu consumo apenas em situações de emergência, ou seja, em situações absolutamente necessárias, quando você não tem qualquer outra opção.

Ainda é importante prestar atenção aos rótulos nutricionais e planejar suas refeições buscando um equilíbrio. Se no dia você já fez uma refeição de alimentos congelados, então tente comer alimentos frescos nas suas próximas refeições.

Nem todos os alimentos congelados são ruins

Frutas e vegetais – estes dois grupos de alimentos são tão bons comprados congelados como frescos. Em alguns casos, eles podem realmente serem melhores, pois os vegetais e frutas comprados frescos e conservados em sua geladeira por um longo tempo, perdem parte de seu valor nutricional.

Quando o compramos congelados, após o descongelamento, teremos a quantidade de nutrientes conservados.

Ervilhas e feijão verde perdem uma grande quantidade de vitamina C em poucas horas após serem colhidos.

Quando os alimentos são enlatados ou congelados, eles são normalmente processados e embalados dentro de horas após a colheita.

Isto mantém os seus nutrientes até ser descongelado, o que deve ocorrer um pouco antes do seu consumo.

Michelle Leite dos Santos
Nutricionista formada pela Universidade Guarulhos desde 2009 e apaixonada pelo que faço. Acredito que a nutrição é o caminho para a saúde e qualidade de vida!

Fonte: https://dietaenutricao.com.br/os-alimentos-congelados-sao-ruins-para-a-saude/
Pesquisa, adaptação e distribuição de texto: Jornalista Wilson Souza
Texto: Michelle Leite dos Santos
Imagens: meramente ilustrativa (Google)
Formatação e publicação: Stanley Monteiro – Website

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

DICA DE SAÚDE – 16 Alimentos Ricos em Gorduras Ruins

Apesar de serem consideradas por alguns como a vilã das dietas para emagrecer ou manter a boa forma, as gorduras têm a sua importância no organismo humano. Elas servem como fonte de energia na ausência dos carboidratos, são responsáveis pela absorção de algumas vitaminas como A, D, E e K, ajudam a manter a temperatura adequada do corpo e funcionam como proteção a órgãos como o cérebro e coração, aos ossos, nervos e tecidos em caso de quedas, traumas ou impactos.

Mas não é só isso: esse grupo de nutrientes contribui com a saúde das células, faz parte da composição de membranas celulares encontradas no cérebro, produz hormônios e ajuda na manutenção da saúde dos cabelos e da pele. Mas e quanto aos alimentos ricos em gorduras ruins? Qual é a gordura que faz mal? Veremos mais abaixo uma importante lista com alimentos que contém essas gorduras que fazem mal.

Imagem meramente ilustrativa – Site da fonte

As gorduras ruins

Por outro lado, mesmo com todos esses benefícios, não dá para sair se empanturrando de gordura a todo o momento. O motivo para isso? É que existem as chamadas gorduras ruins, as gorduras saturadas (em excesso), de origem animal, e as gorduras trans, produzidas de forma industrial e utilizadas como ingrediente de alimentos processados, apesar de também poderem ser encontradas na natureza e em comidas de origem animal. Tais tipos de gordura trazem problemas à saúde.

Entre eles estão o entupimento das artérias, a elevação do colesterol ruim – o LDL -, a diminuição do colesterol do bem – o HDL, o que aumenta os riscos de desenvolvimento de problemas no coração, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC).

Quem deseja manter-se longe desses problemas precisa ficar de olho na dieta e conhecer quais são os alimentos ricos em gorduras ruins e limitar o consumo deles nas refeições. Quer descobrir quais são eles? Então não deixa de conferir a nossa lista a seguir que mostra as comidas que contém gorduras nocivas.

Alimentos ricos em gorduras ruins

Veremos agora quais alimentos você deve evitar ou pelo menos não comer com freqüência.

1 – Chip de batata frita

Um pacote de salgadinho de batata frita em forma de chips pode trazer aproximadamente 3 g de gorduras trans.

2 – Refeições congeladas

Tortas, pizzas, massas e outros tipos de comida congelada também batem ponto na lista dos alimentos ricos em gorduras ruins, em especial as gorduras trans com o objetivo de prolongar a duração do produto em questão;

Por isso, antes de ceder à tentação de comer algo rápido, que basta colocar no micro-ondas para preparar, trate de olhar a tabela nutricional no rótulo da comida congelada e verificar a quantidade de gorduras saturadas e trans que ele apresenta. Certamente você irá se deparar com um valor alto e terá a oportunidade de pensar mais uma vez sobre o cardápio de sua refeição.

3 – Batatas fritas

Sabe aquela batata frita que a gente pede nos restaurantes fast-food? Então, uma porção média pode trazer 8 g de gorduras trans. Além disso, uma porção de 50 g de batatas fritas do Mc Donald’s contém 4,6 g de gorduras saturadas.

4 – Cookies

Basta comer três cookies para consumir 3 g de gorduras trans e ultrapassar rapidamente a quantidade diária de ingestão desse tipo de gordura indicada pela OMS. Entretanto, o valor pode mudar de acordo com os ingredientes utilizados no preparo da receita. Para não ter tantas gorduras ruins, a dica que deixamos é que você procure fazer receitas caseiras com itens saudáveis como o cacau e pedacinhos de grãos.

5 – Macarrão instantâneo

Assim como a pipoca, o vilão aqui não é o alimento em si, no caso, o macarrão. O problema está nos pacotinhos que serão usados para fazer o molho. Cheios de gordura ruins, evite-os ao máximo.

6 – Empadas e empadão

Cuidado com esses alimentos, especialmente os industrializados que estão cheios de gorduras trans, além das gorduras saturadas.

 7 – Margarina

A manteiga era o vilão até pouco tempo atrás. Mas hoje em dia os cientistas concordam que a margarina é pior do que a manteiga. Cheia de óleos hidrogenados, a margarina não é uma opção ideal para sua alimentação.

8 – Sorvete cremoso

Até existem algumas versões com menos gordura ou pelo menos sem gorduras trans, mas em geral, a maior parte dos sorvetes cremosos industrializados é rico em gorduras saturadas e também tem gorduras trans.

9 – Bebidas cremosas

Estamos falando aqui das várias versões de café com chantilly, leite integral, chocolate e condimentos de sabor de castanhas e caramelo por exemplo. E não são só os cafés. Vale citar também os milk shakes e bebidas lácteas altamente calóricas. Muitos dessas bebidas têm uma quantidade enorme de gorduras hidrogenadas e muitas gorduras saturadas.

10 – Biscoitos recheados

É verdade que a indústria de alimentos está reduzindo bastante a quantidade de gorduras trans em biscoitos recheados. Mas a verdade é que ainda é um dos piores alimentos ricos em gorduras ruins. E o grande problema também é que acabamos comendo o pacote inteiro de biscoitos de uma só vez. Isso é uma verdadeira bomba calórica e, infelizmente, de gorduras ruins.

11 – Pipoca de micro-ondas

O problema com as pipocas de micro-ondas está no tempero que vem junto do milho. Geralmente é tempero extremamente rico em gorduras ruins. Logo, para quem é fã de uma pipoca, a dica é deixar o tempero industrializado de lado. Veja o artigo Pipoca Engorda ou Emagrece? Análise Completa

12 – Alimentos fritos

Poderíamos listar dezenas de alimentos fritos muito conhecidos, mas não há necessidade. O importante é você saber que o processo de fritura é péssimo para a saúde. Para começar, torna o alimento em algo altamente calórico. Além disso, é cheio de gorduras ruins. É claro que de vez em quando não vai fazer tão mal, mas se isso for um hábito, pode apostar que você verá problemas de colesterol, sobrepeso e outros.

13 – Leite integral

Uma xícara de leite integral possui aproximadamente 4,5 de gorduras saturadas.

14 – Queijos frescos e industrializados

Para começar vale a pena dizer que alguns queijos não são queijos de verdade. São ingredientes misturados com sabor e textura de queijo. São repletos de substâncias nocivas, gorduras trans e gorduras saturadas. Já os outros queijos frescos, os de verdade, tem como maior problema a quantidade de gordura saturada. Quem consome 100 g de queijo provolone, fornece mais de 17 g de gorduras saturadas ao seu corpo, valor que fica somente 5 g atrás da quantidade recomendada de ingestão da substância para os indivíduos adultos, que é de 22 g, como você verá com maiores detalhes no decorrer deste artigo. O queijo mussarela tem 12,7 g de gorduras saturadas a cada 100 g. E o queijo Minas possui aproximadamente 15,6 g de gorduras saturadas em 100 g

15 – Queijo ralado

Vale à pena falar desse separado porque parece inofensivo e quase passa despercebida. O queijo parmesão ralado, que decorra pizzas, lasanhas, nhoques, pratos de macarrão e diversos outros tipos de massa, é outro dos alimentos ricos em gorduras ruins: são cerca de 20 g de gorduras saturadas a cada 100 g.

16 – Tortas e bolos industrializados

Cuidado com esses alimentos, pois em geral estão cheios de gorduras trans, além das gorduras saturadas.

Quanto de gorduras saturadas e gorduras trans eu posso ingerir diariamente?

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é que cada indivíduo consuma somente 1% de suas calorias totais provenientes de gorduras trans. Isso significa que uma pessoa que ingere 2 mil calorias diariamente deve consumir apenas 2,2 g de gorduras trans por dia.

Já em relação às gorduras saturadas a indicação é que as pessoas adultos comam no máximo 22 g por dia, enquanto as crianças de um a três anos devem ingerir até 11 g no mesmo período, as que têm de quatro a seis anos até 16 g e o limite é de 19 g para quem possui de sete a dez anos de idade.

 Revisão Geral pela Dra. Patrícia Leite – (no G+)

Fonte: http://www.mundoboaforma.com.br/16-alimentos-ricos-em-gorduras-ruins/

Texto, distribuição, adaptação e edição: Wilson Souza/ http://www.mundoboaforma.com.br/16-alimentos-ricos-em-gorduras-ruins/

LEMBRETE: Todo e qualquer medicamento deve ser receitado pelo médico, pois tomar remédios sem receituário pode ser perigoso para sua saúde. Então procure seu médico é mais seguro. (Nota da assessoria de imprensa)

 Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o médico que é o profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

 

DICA DE SAÚDE – Os 7 Alimentos Saudáveis Para Pessoas com Diabetes

Os Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes são de grande auxílio para controlar a doença. Além disso, as pessoas que sofrem de diabetes precisam cuidar de sua dieta de modo em que o açúcar no sangue esteja sob controle. Existem vários alimentos que não devem ser consumidos ou apenas consumidos com moderação.

Há muitos outros alimentos que são ditos benéficos para pessoas que sofrem de altos níveis de açúcar no sangue.

Imagem meramente ilustrativa – Internet

No entanto, o caminho para uma boa saúde é consumir todos esses alimentos saudáveis ​​com moderação e exercita-se regularmente. Isso ajudará a manter o açúcar no sangue sob controle e garantir a saúde e a condição física saudável.

Então, confira Os 7 Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes:

Aveia: A aveia com certeza está entre os Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes. Pois, a aveia ajuda na redução dos níveis de colesterol ruim e melhora a resistência à insulina no corpo. A aveia também contém fibra solúvel que ajuda a diminuir a velocidade pela qual o corpo se decompõe e absorve carboidratos. Isso significa que ajuda a estabilizar os níveis de açúcar no sangue.

foto 3

Legumes de Folhas Verdes: Os vegetais de folhas verdes são ricos em minerais e vitaminas. Isso ajuda o corpo a equilibrar sua nutrição. Estes vegetais são saudáveis, baixos em calorias e carboidratos. Também estão na lista dos Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes. Inclua couve, acelga, espinafre e outros vegetais verdes na sua dieta. Você pode consumi-los através de saladas assadas ​​para maior gosto e benefício.

 

Tomate: O tomate é conhecido por ter um ranking GI baixo, o que significa que 200 gramas de tomate cru, se consumido todos os dias, pode ajudar na redução do risco de doença cardiovascular associada à diabetes tipo 2. Os diabéticos também podem beber o suco de tomate para o gerenciamento do diabetes. Por isso, ele está na lista dos melhores Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes.

 

Feijão: Um dos Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes são os feijões, pois, são ricos em proteínas e fibras. Eles também são baixos em GI e ricos em minerais como potássio e magnésio. O consumo regular de feijão é conhecido por reduzir e controlar os níveis de glicemia em pessoas que sofrem de diabetes.

 

Sementes de Linhaça: As sementes de linhaça estão entre os melhores Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes porque possui excelentes propriedades que ajudam a reduzir o colesterol alto. Além disso, as sementes de linhaça são uma boa fonte de ácido alfa-linolênico (ALA) e fibras que desempenham um papel importante na manutenção dos níveis de açúcar no sangue. Você pode incluir sementes de linhaça (forma do solo) em diferentes alimentos como aveia, em queijo com baixo teor de gordura e até mesmo em alguns Shakes deliciosos.

 

Legumes Torrados: Os diabéticos precisam seguir um plano de dieta rigoroso. Os vegetais assados ​​com ervas são bons para a saúde. Eles adicionam sabor, textura e cor a qualquer refeição. Você pode adicionar vegetais com baixas calorias em sua dieta, como couves de Bruxelas, berinjelas, cebolas, cogumelos e também abóbora com baixas calorias. Sendo rico em minerais e nutrientes, os vegetais assados ​​ajudam a equilibrar a dieta e assim, se tornam um dos melhores Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes.

Grãos Inteiros: Os grãos inteiros são carregados com fibra insolúvel e solúvel. Eles também são ricos em antioxidantes. O consumo de grãos inteiros é conhecido por metabolizar as gorduras do corpo e ajudar a manter o trato digestivo saudável. Estes com certeza são um dos melhores Alimentos Saudáveis ​​Para Pessoas com Diabetes.

Fonte: http://www.saudedica.com.br/os-7-alimentos-saudaveis-%E2%80%8B%E2%80%8Bpara-pessoas-com-diabetes/

Texto: transcrição, adaptação, distribuição e edição: Wilson Souza/ http://www.saudedica.com.br/os-7-alimentos-saudaveis-%E2%80%8B%E2%80%8Bpara-pessoas-com-diabetes/

 Alerta: Todo e qualquer medicamento, sobras de medicamentos e remédios caseiros, o paciente NÃO deve tomar, pois pode ser prejudicial a sua saúde. NÃO tome qualquer tipo de medicamento sem receituário médico, pode ser perigoso para sua saúde, de acordo com os médicos.

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

DICA DE SAÚDE – Alimentos ricos em água

Os alimentos ricos em água como o rabanete ou a melancia, por exemplo, ajudam a desinchar o corpo e regular a pressão alta porque são diuréticos, diminuem o apetite, pois têm fibras que mantém o estômago cheiro por mais tempo e ainda aliviam a prisão de ventre porque facilitam a eliminação das fezes.

Foto meramente ilustrativa – Internet

Os alimentos ricos em água podem ser utilizados nas refeições principais em saladas, sopas ou sucos, por exemplo.

Lista de alimentos ricos em água:

Os alimentos ricos em água são aqueles que possuem em sua composição mais de 70g de água e alguns exemplos podem ser:

Alimentos Água em 100 g Energia em 100 g
Rabanete cru 95,6 g 13 calorias
Melancia 93,6 g 24 calorias
Tomate cru 93,5 g 19 calorias
Nabo cozido 94,2 g 14 calorias
Cenoura crua 92 g 19 calorias
Couve-flor cozida 92 g 17 calorias
Melão 91,8 g 27 calorias
Morango 90,1 g 29 calorias
Clara de ovo 87,4 g 47 calorias
Abacaxi 87 g 52 calorias
Goiaba 86 g 40 calorias
Pera 85,1 g 41 calorias
Maçã sem casca 83,8 g 54 calorias
Banana 72,1 g 95 calorias

Os alimentos ricos em água também têm poucas calorias e são excelentes opções para quem quer emagrecer e desintoxicar o organismo.

Alimentos ricos em água e sais minerais:

Foto meramente ilustrativa – Internet

Os alimentos ricos em água e sais minerais, como as frutas cítricas e os frutos do mar, ajudam a evitar as câimbras e a combater o cansaço físico ou mental.

Os principais sais minerais do corpo são o sódio, magnésio, fósforo, cálcio, cloro, potássio, ferro e iodo. São bons exemplos de alimentos ricos em água e sais minerais:

  • Água de coco;
  • Verduras, como o espinafre;
  • Frutas como laranja e tangerina;
  • Peixes e frutos do mar.

Os alimentos ricos em água e sais minerais, em geral, têm poucas calorias e são muito nutritivos, sendo uma boa opção para complementar a dieta de quem quer emagrecer de forma saudável.

Foto meramente ilustrativa – Internet

Alimentos ricos em água e fibras:

Os alimentos ricos em água e fibras são legumes, frutas e verduras que contribuem principalmente para o correto funcionamento do intestino e para a prevenção de doenças do coração, diabetes e alguns tipos de câncer.

Alguns exemplos de alimentos ricos em água e fibras podem ser pêra, frutas cítricas, como morango e limão, maçã, repolho, agrião e berinjela, por exemplo.

Fonte: https://www.tuasaude.com/alimentos-ricos-em-agua/

Texto, transcrição, adaptação, distribuição e edição: Wilson Souza/https://www.tuasaude.com/alimentos-ricos-em-agua/

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte.

DICA DE SAÚDE – Após a ingestão de alimentos gordurosos o que fazer

Publicado em 29 de Jan de 2015 por Marília Alenca

 Exagerou na dose? Saiba o que fazer caso exagere na ingestão de alimentos gordurosos. Listamos algumas dicas

Foto Shutterstock
  1. Sempre que você comer mais alimentos com gordura do que o indicado, procure adotar um cardápio antioxidante no dia seguinte. Alimentos como suco de laranja, kiwi, castanha do Brasil, salmão, arroz integral e quinoa ajudam a combater os radicais livres.
  2. Outra dica é beber líquidos à base de chá de urtiga, que é depurativo, estabiliza a glicose no sangue e age contra os radicais livres. Uma boa sugestão é o chá de dente de leão, que é diurético, depurativo e facilita o processo digestivo.
  3. A maneira mais eficiente que existe para gastar as calorias ingeridas em excesso é praticar atividade física. De preferência caminhada ou natação.
  4. Curtir um churrasco com os amigos ou devorar aquele hambúrguer com fritas no fim de semana estão liberados. Os médicos só recomendam que a exceção não vire regra. Em caso de eventuais excessos, basta voltarem ao padrão alimentar usual e tudo bem.

 

Texto André Bernardo / Foto: Shutterstock

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/nutricao/dicas-apos-a-ingestao-de-alimentos-gordurosos/4166/#

Transcrição, distribuição de texto e edição: Wilson Souza

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte.  

DICA DE SAÚDE – Saiba quais os 12 alimentos que mais causam inflamação

Pode parecer estranho, mas alguns dos alimentos mais comuns do nosso dia a dia podem ser a causa de sérios danos à saúde: são os chamados alimentos inflamatórios. Nunca ouviu falar?

A inflamação, de forma geral, é um processo em que os mecanismos de defesa do organismo atuam contra uma infecção. Mas, às vezes, o sistema imunológico causa inflamação sem que haja uma infecção realmente, isso por conta de micro-organismos que ele considera estranhos. E é essa reação que os alimentos inflamatórios podem desencadear.

Alguns efeitos nocivos são fáceis de perceber, como ganho de peso, desconforto ou inchaço abdominal – danos que, a princípio, podem nem parecer tão graves assim. Mas, segundo Michelle Schoffro, nutricionista e doutora em medicina natural tradicional, os alimentos inflamatórios têm sido associados a sérios problemas de saúde, doenças crônicas como câncer, artrite, diabetes, obesidade e problemas no coração.

Com o processo de industrialização, os alimentos passaram a ser carregados de aditivos como corantes, agrotóxicos e outras substâncias químicas. Além disso, o excesso de açúcar e gordura também passou a comprometer severamente sua qualidade nutricional.

E esses vilões são mais comuns do que você pode imaginar: estão na lista os pães, carnes e produtos derivados do leite. O álcool e as frituras também são citados como prejudiciais ao organismo.

Foto meramente ilustrativa – Internet

 

A lista abaixo indica os 12 alimentos que mais causam inflamação e que, na opinião da Dra. Michelle, devem ser evitados já! Para ela, o ideal é reduzir ao máximo seu consumo, até conseguir eliminá-los de vez do seu cardápio. Conheça:

Os “fast foods” estão no topo da lista. Isso graças às substâncias nocivas encontradas na maioria deles, como óleo, açúcar, adoçantes artificiais e uma série de outros ingredientes nada saudáveis.

Gorduras trans e hidrogenadas, encontradas na margarina e banha de porco, por exemplo, também estão no topo da lista. São inúmeros os alimentos encontrados no supermercado que contêm esses ingredientes: pães, bolachas, tortas, bolos, etc. Lembre-se: para os lanches, as frutas ou castanhas são opções muito mais saudáveis.

carne, principalmente a vermelha, também tende a causar inflamação. Não é preciso abandonar completamente o consumo; você pode começar comendo carne apenas como acompanhamento, e não como prato principal. A única que não entra na lista é a carne de peixe, uma boa alternativa, já que não contém muita gordura e ajuda a regular o colesterol.

Frituras em geral são grandes vilãs. Óleos vegetais, como de girassol, milho ou soja causam inflamação e aumentam o risco de doenças crônicas. Que tal substituir pelo azeite de oliva extra-virgem?

Açúcar refinado – e isso inclui refrigerantes e sucos adoçados. Uma pesquisa recente mostrou que o açúcar é uma das substâncias mais viciantes que se pode consumir. Além de causar inflamação, ele pode aumentar seu peso, causar cáries e muitos outros transtornos à saúde. Mais uma vez, não é preciso eliminá-lo de vez, apenas reduza o consumo o quanto for possível. Quando estiver com vontade de doces, experimente recorrer às frutas.

Adoçantes sintéticos (como splenda, sacarina, aspartame, entre outros). Evite! Pesquisas relacionam o uso dessas substâncias a muitos problemas graves de saúde. Ao invés deles, opte por adoçantes naturais, como o mel ou stévia.

Sal iodado. Não é prejudicial em si, mas você pode optar pelo sal marinho não refinado, que contém outros minerais além do sódio, como potássio, cálcio e magnésio, que o tornam mais saudável.

Aditivos alimentares: corantes, conservantes, intensificadores de sabor, etc. Infelizmente, quase todos os alimentos industrializados contêm esses ingredientes tóxicos e nada positivos para a saúde.

Produtos lácteos, como sorvete, queijo e manteiga. Além de sua ação inflamatória, os laticínios, hoje em dia, estão carregados de hormônios, antibióticos e outros ingredientes que fazem mal. Evite-os quando puder.

Produtos derivados do trigo, pois este ingrediente é altamente acidificante e inflamatório. Além disso, é comum o trigo geneticamente modificado, e muitas condições graves de saúde são associadas a esse tipo de alimento.

Glúten, uma substância encontrada em muitos grãos e que causa intolerância em muitas pessoas. Procure experimentar os grãos ou sementes sem glúten, como a quinoa.

Álcool. Por ser rico em açúcar, prejudica o fígado e entra na lista dos alimentos mais inflamatórios para o corpo. O ideal é eliminá-lo de vez, ou consumir com moderação.

E então, ficou surpreso com a enorme lista de alimentos que precisa evitar? Não se preocupe. O importante é reduzir aos poucos o consumo e buscar seguir hábitos mais saudáveis. Logo, seu corpo vai recompensá-lo, fazendo com que você se sinta mais bonito, saudável e feliz!

Fonte: http://cidadeverde.com/noticias/189030/saiba-quais-os-12-alimentos-que-mais-causam-inflamacao

Referência: Dicas de mulher

Transcrição, distribuição, adaptação e edição de texto para o site da Astir: Wilson Souza
Fotos: Meramente ilustrativas – Internet

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico. Você deve sempre consultar o seu cirurgião-dentista ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. 

Como lavar alimentos corretamente

Para lavar bem frutas e verduras corretamente, diminuindo a quantidade de agrotóxicos e de microrganismos, devem-se seguir os seguintes passos:

  1. Lavar os alimentos em água corrente, utilizando uma bucha ou escovinha para retirar a sujeira visível a olho nu;
  2. Deixar as frutas e as verduras com casca de molho em uma bacia com 1 litro de água e 1 colher (sopa) de água sanitária ou de hipoclorito de sódio durante 15 minutos;
  3. Lavar as frutas e as verduras em água potável para retirar o excesso de água sanitária ou hipoclorito.
1: Lavar com escovinha
1: Lavar com escovinha
2: Deixar de molho
2: Deixar de molho
3: Lavar com água potável
3: Lavar com água potável

A quantidade de produto químico deve ser respeitada porque o consumo regular deste tipo de substância pode prejudicar o aparelho digestivo. O uso de produtos como alvejantes, cloro e tira-manchas são totalmente desaconselhados, e o uso de vinagre também porque ele não consegue eliminar algumas bactérias nocivas à saúde.

Consumir alimentos crus que não sejam devidamente lavados pode ser perigosa para a saúde devido à quantidade de micro-organismos nocivos e agrotóxicos, por isso, a lavagem correta dos alimentos diminui drasticamente as chances de contaminação por estas substâncias.

FONTE: www.tuasaude.com › Clínica Geral

Resumo, montagem e pesquisa: Wilson Souza

“Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado antes de colocar em prática as informações dessas dicas”. “A ASTIR não se responsabiliza pelo conteúdo do texto no site em fonte”.

Alimentos integrais: opção mais que saudável

Que tal trocar o arroz refinado pelo integral e o pão francês pelo de centeio? Acreditem, essas pequenas mudanças podem fazer a maior diferença em sua saúde.

4

“Os grãos integrais não passam pelo processo de refinamento; assim, mantêm suas propriedades nutricionais e ajudam a prevenir doenças como obesidade, diabetes e problemas intestinais”, explica Rosana Cardoso, nutricionista do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Esse processo de refinamento ocorre para dar maior durabilidade, melhor textura e menor preço aos produtos.

O alimento integral é considerado a principal fonte de fibra que, em geral, falta no cardápio do brasileiro.

As principais funções desse nutriente são:

  • Promoção do bom funcionamento intestinal
  • Sensação de saciedade
  • Redução dos níveis de colesterol e de glicose no sangue

Além da fibra, os alimentos integrais são ricos em vitaminas A, B, B2 e B5 e em minerais, como cálcio, fósforo e ferro.

5

Time vitaminado

Conheça o grupo de alimentos integrais e tente incluir pelo menos um dos itens em sua alimentação diária.

  • Arroz integral:apresenta grande quantidade de fibras. Rico também em vitaminas A, B, B2, B5 e B6 e em cálcio, fósforo e ferro.
  • Açúcar mascavo:enquanto o açúcar branco contém apenas carboidratos, o mascavo apresenta ferro, potássio e vitaminas que são excluídas no processo de refinamento. Não deve ser usado por diabéticos.
  • Farinha de trigo integral:tem valor calórico semelhante ao da farinha branca e apresenta mais vitaminas, proteínas e fibras.
  • Centeio (grãos, farinha, flocos):utilizado na confecção de pães, é um ótimo alimento, pois é rico em cálcio, ferro, magnésio e fósforo.
  • Cevada em grão (cevadinha):cereal leve usado na preparação de pães e sopas. É rico em cálcio, potássio, fósforo, silício, vitaminas do complexo B e beta caroteno.
  • Trigo em grão:rico em ácido glutâmico, um tipo de aminoácido. É muito utilizado na culinária árabe, como no quibe cru. Possui vitaminas A, B, C, E e PP, além de cálcio, fósforo, magnésio, potássio e zinco.

6

Benefícios de grão em grão

  • Saciedade total:o alimento integral tem mais viscosidade e, quando ingerido, absorve grande quantidade de água, formando géis que forram a parede do estômago, retardando o esvaziamento gástrico. Com isso, o processo digestivo torna-se mais lento, o que permite menor absorção de gordura e de glicose, além de diminuir a sensação de fome.
  • Menos gordura:as fibras insolúveis, como o farelo de trigo, ligam-se aos sais biliares e reduzem a absorção de gordura. E as fibras solúveis, como farelo de aveia, feijão, leguminosas, frutas e hortaliças, combatem o colesterol ruim, o LDL.
  • Intestino regulado:auxiliam na regularidade do funcionamento intestinal. Além disso, aumentam a quantidade de bactérias benéficas – conhecidas como lactobacilos – e diminuem a quantidade daquelas que podem causar doenças intestinais. Vale lembrar que devem ser ingeridos aproximadamente 2 litros de água por dia, para auxiliar na ação das fibras e no bom funcionamento do intestino.

Calorias em jogo

Quando se fala em alimentos integrais, muitos os associam a um regime. Apesar de não serem recomendados apenas nessas situações, os grãos realmente trazem ótimos resultados quando o assunto é perda de peso. “Apesar de os alimentos integrais apresentarem mais calorias do que os refinados, a quantidade de fibras contidas nesses alimentos proporciona maior saciedade, reduzindo o apetite e, consequentemente, a quantidade de alimentos ingeridos”, afirma Patrícia Zuanazzi Pereira, nutricionista do HIAE.

Mas atenção aos exageros: o Food and Drug Administration (FDA) – órgão governamental americano que faz o controle dos alimentos e dos medicamentos – recomenda a ingestão de 25 gramas de fibra por dia. Essa quantidade deve ser bem variada e não ser concentrada em apenas um tipo de alimento.

“Apesar de os alimentos integrais apresentarem mais calorias do que os refinados, a quantidade de fibras contidas nesses alimentos proporciona maior saciedade, reduzindo o apetite e, consequentemente, a quantidade de alimentos ingeridos”

Por exemplo:

  • Uma xícara de germe de trigo tem aproximadamente 15 gramas de fibras
  • Um quarto de xícara de farinha de aveia tem cerca de 6,9 gramas de fibras
  • Uma xícara de arroz integral tem 3,4 gramas de fibras

Lembre-se de que todas as refeições devem conter fibras. Se o consumo for maior que 50 gramas por dia, pode gerar excesso de gases e dores abdominais.

Publicada em novembro/2008

Fonte: www.einstein.br/…saude/…/alimentos-integrais-opcao-mais-que-saudavel.