Quinze municípios estão com alto risco para a infestação de dengue neste ano, diz Agevisa

De janeiro até outubro deste ano, Rondônia teve 1.852 notificações de casos suspeitos de dengue, segundo dados da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa). No ano passado, houve um total de 5.995 casos. Já em relação ao zika vírus, foram 212 frente a 479

Conforme a Agevisa, a soma de esforços é necessária para envolver toda a comunidade com um tema que tem sido alvo de preocupação para autoridades e profissionais que atuam na Saúde. Sid Orleans, membro do setor de informações estratégicas da Agevisa, lembra que o combate ao mosquito deve ser constante, tendo em vista que, em Rondônia, 15 municípios são considerados áreas de alto risco para a infestação de dengue, com destaque para Itapuã do Oeste, Vale do Paraíso e Espigão do Oeste. Outros 24 municípios estão em estado de

Os números são resultados das pesquisas realizadas por agentes de endemias, durante visitas domiciliares para avaliar a presença de focos de mosquitos nas residências. “É preciso atenção e envolvimento dos moradores, o Estado está apoiando os municípios a realizarem ações de combate, principalmente neste período, marcado pelo início das chuvas em nossa região e que podem favorecer a formação água parada e fonte de criadouros do mosquito”, enfatiza Sid.

Este ano, o estado confirmou redução 69,11% no registro de notificações de dengue, em Unidades de Saúde. Comparando com os dados de 2017, cujo registro (até novembro) foi de 5.995 casos notificados, este foram notificados 1.852 casos em todo o Estado. Mesmo que os números apresentados indiquem redução no percentual de dengue, chikungunya e zika, no Estado, os profissionais que atuam na área de Saúde optaram por ser vigilantes e trabalhar com o resultado de focos encontrados nos domicílios. “Embora os números sejam positivos, nossa preocupação é que podem se reverter a qualquer momento, basta despreocupar um pouco”, lembra Sid Orleans.

Como medidas que a comunidade pode adotar para contribuir com o combate ao mosquito, está principalmente evitar acúmulo de lixo, que possam servir de reservatório. Pneus, saco, calhas, piscinas e garrafas pode servir de criadouros para o mosquito.

Já ações que podem contribuir para o registro da doença, e consequente ações de combate, é a realização do teste rápido para dengue, chikungunya e zika, sete dias após a identificação dos sintomas. O teste pode ser solicitado nos Postos de Saúde municipais.

Crianças
As crianças do estado de Rondônia são convidadas a participar da Semana de Mobilização e dia D de combate ao Aedes Aegypti, segundo Sid Orleans, porque os pequenos atuam como excelentes agentes multiplicadores de boas práticas e da necessidade de se formar adultos melhor esclarecidos quanto a necessidade de combate a endemias.alerta para a doença, inclusive Porto Velho e somente 13 municípios apresentam baixo risco para infestação da doença.

Os números são resultados das pesquisas realizadas por agentes de endemias, durante visitas domiciliares para avaliar a presença de focos de mosquitos nas residências. “É preciso atenção e envolvimento dos moradores, o Estado está apoiando os municípios a realizarem ações de combate, principalmente neste período, marcado pelo início das chuvas em nossa região e que podem favorecer a formação água parada e fonte de criadouros do mosquito”, enfatiza Sid.

Este ano, o estado confirmou redução 69,11% no registro de notificações de dengue, em Unidades de Saúde. Comparando com os dados de 2017, cujo registro (até novembro) foi de 5.995 casos notificados, este foram notificados 1.852 casos em todo o Estado. Mesmo que os números apresentados indiquem redução no percentual de dengue, chikungunya e zika, no Estado, os profissionais que atuam na área de Saúde optaram por ser vigilantes e trabalhar com o resultado de focos encontrados nos domicílios. “Embora os números sejam positivos, nossa preocupação é que podem se reverter a qualquer momento, basta despreocupar um pouco”, lembra Sid Orleans.

Como medidas que a comunidade pode adotar para contribuir com o combate ao mosquito, está principalmente evitar acúmulo de lixo, que possam servir de reservatório. Pneus, saco, calhas, piscinas e garrafas podem servir de criadouros para o mosquito.

Já ações que podem contribuir para o registro da doença, e conseqüente ações de combate, é a realização do teste rápido para dengue, chikungunya e zika, sete dias após a identificação dos sintomas. O teste pode ser solicitado nos Postos de Saúde municipais.

Crianças

As crianças do estado de Rondônia são convidadas a participar da Semana de Mobilização e dia D de combate ao Aedes Aegypti, segundo Sid Orleans, porque os pequenos atuam como excelentes agentes multiplicadores de boas práticas e da necessidade de se formar adultos melhor esclarecidos quanto a necessidade de combate a endemias.

Fonte: https://www.rondoniagora.com/geral/quinze-municipios-estao-com-alto-risco-para-a-infestacao-de-dengue-neste-ano-diz-agevisa

Texto e imagem: https://www.rondoniagora.com/geral/quinze-municipios-estao-com-alto-risco-para-a-infestacao-de-dengue-neste-ano-diz-agevisa

Transcrição e republicação: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

Os direitos autorais são reservados a: https://www.rondoniagora.com/geral/quinze-municipios-estao-com-alto-risco-para-a-infestacao-de-dengue-neste-ano-diz-agevisa

Esta notícia foi visualizada 21 vezes