PRIMEIROS-SOCORROS – CORTES E LESÕES

Cortes são ferimentos que ocorrem com muita freqüência no ambiente doméstico. A pessoa está lidando na cozinha e se machuca com a faca, com um caco de vidro do copo que quebrou, escorrega no chão molhado, leva um tombo feio, bate a cabeça numa quina ou um objeto pesado despenca sobre sua cabeça. Em 2011, apenas nos hospitais do SUS, foram atendidas mais de 27 mil pessoas que se feriram dessa forma em casa.

Tipos e cuidados

Quando os cortes são superficiais, o organismo se encarrega de cicatrizá-los. Na corrente sanguínea, existem plaquetas e proteínas encarregadas de formar coágulos para interromper a circulação, assim que algum vaso se rompe. No entanto, algumas medidas simples tomadas no momento do acidente podem acelerar processo de recuperação. A primeira é lavar as mãos com água e sabão (qualquer sabão) antes de prestar o atendimento para não levar germes para a área afetada. Os dois passos seguintes são comprimir o local com gaze ou pano limpo até estancar o sangue e lavar o ferimento, também com água e sabão, para remover resíduos de sujeira. Tudo isso feito com muito cuidado para não agravar a lesão.

Se os cortes forem mais profundos, o mais urgente é estancar o sangramento. Às vezes, porém, é tanto sangue que se torna quase impossível ver o local por onde ele escapa. Nesse caso, deve-se limpar a região com um pano embebido em água até encontrar o local do ferimento. Depois é só pressioná-lo com gaze ou com um pano limpo para estancar o fluxo de sangue. Se isso não acontecer em cinco ou dez minutos, no máximo, a pessoa deve ser encaminhada para socorro médico. Cortes muito profundos com sangramento abundante exigem atendimento médico de urgência.

Cortes na cabeça

Cortes na cabeça necessitam de cuidados especiais. De modo geral, eles provocam sangramento abundante por causa do grande número de vasos sanguíneos concentrados nessa parte do corpo. Se o corte for superficial, quase sempre é suficiente lavar o local com água e sabão e comprimir o ferimento para que o sangue estanque em, no máximo, dez minutos. Já os cortes mais profundos podem necessitar de pontos que devem ser dados por um médico.

Ocasionalmente, a pancada que provocou o corte na cabeça pode também ter provocado sangramento em algum vaso situado no interior do cérebro ou nas membranas que o envolvem, as meninges. Esses casos precisam ser diagnosticados depressa, porque o sangue extravasado pode comprimir estruturas cerebrais de importância vital para a sobrevivência.

Se o hospital em que a pessoa foi atendida não possui um aparelho de tomografia computadorizada para diagnóstico imediato, é indispensável redobrar a atenção nas primeiras 24 horas depois do acidente. A pessoa deve permanecer acordada, especialmente se for uma criança. Caso apresente dor forte de cabeça, desequilíbrio ao andar, visão dupla, vômitos, pupilas dos olhos de tamanhos diferentes, sonolência, confusão mental, desmaio, sangramentos pelo nariz ou ouvido preciso ser encaminhada para assistência médica sem perda de tempo, porque esses sintomas são sugestivos de complicações neurológicas.

Recomendações

* Nunca aplique álcool, pomadas ou produtos desinfetantes no local do ferimento. Apenas lave a área com água e sabão;

* Não assopre o ferimento para não contaminar a região com os germes que habitam normalmente nossa boca;

* Não utilize algodão para estancar o sangue, porque as fibras grudarão na ferida, o que tornará mais difícil a sua remoção;

* Procure assistência médica, se surgirem sinais de infecção (vermelhidão, calor, dor, inchaço e pus) na região do ferimento;

* Certifique-se da necessidade de tomar uma dose de reforço da vacina antitetânica se o ferimento foi provocado por um objeto enferrujado ou sujo de terra;

* Não se assuste se o sangue do ferido respingar em você. Nenhum germe poderá penetrar sua pele, se ela estiver íntegra. Entretanto, se sua pele estiver ferida e a pessoa acidentada não tiver condições de ajudar a estancar o sangramento, tente improvisar uma luva ou outro material de proteção para evitar o contato do sangue com sua pele machucada.

O diretor executivo da Astir, CB PM Alan Mota recomenda os associados que em caso de emergência médica devem procurar o Serviço de Pronto Atendimento, o qual trabalha 24 horas, 7 dias por semana, a serviço da vida. Os profissionais de saúde como médico equipe de enfermagem e outros de sobre avisos estão prontos para o atendimento de emergência. “O SPA mantêm medicamentos de emergência, material penso descartável, fios de sutura, sala de curativos e se o médico decidir pela internação o paciente será removido de maca para o Hospital Tiradentes, disse Alan.

IMAGENS DESSAS PATOLOGIAS NÃO SERÃO APRESENTADAS, DEVIDO SEREM DE APENAS DO INTERESSE E ENTEDIMENTO MÉDICO.

Fonte: https://drauziovarella.com.br/doencas-e-sintomas/cortes/
Publicado em 22/05/2012. Revisado em 23/10/2017.

Republicação, adaptação, distribuição e edição de texto: Wilson Souza

Legenda foto – CB PM Alan Mota – diretor executivo da Astir – Foto Wilson Souza

Formatação e publicação – Stanley Monteiro

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

Formatação e publicação – Stanley Monteiro
Imagem – Meramente ilustrativa (Google)
Legenda foto – CB PM Alan Mota – diretor executivo da Astir – Foto Wilson Souza

Esta notícia foi visualizada 80 vezes
Tags: ,