ASTIR - Associação dos Policiais Militares e Bombeiros Militares do Estado de Rondônia Pediatria – Médica especialista da Astir fala sobre patologias sazonais
Home / Notícias / Pediatria – Médica especialista da Astir fala sobre patologias sazonais

Pediatria – Médica especialista da Astir fala sobre patologias sazonais

A médica pediatra, Kátia Bastos fala sobre as patologias sazonais que mais acometem as crianças.

Médica pediatra Dra Kátia Bastos

Ela explica que está chegando ao fim o inverno Amazônico (chuvas) e se aproxima o verão (seca) e várias doenças tem sido diagnosticada em seu consultório como segue:

Resfriados:

O resfriado é uma infecção das vias aéreas superiores, essa acomete o nariz e a garganta, manifesta-se com coriza, mal-estar, comumente não há febre, ou febre pouco intensa.

O resfriado pode permanecer alguns dias ou semanas. Numerosos vírus podem ocasionar o resfriado, sendo os tipos mais comuns, os rinovírus, os coronavírus, parainfluenza. O vírus destrói o revestimento interno das vias respiratórias.

O resfriado pode ser transmitido de pessoa a pessoa, através das gotículas eliminadas ao tossir, espirrar ou falar.

Os sintomas são: coriza, obstrução nasal, diminuição do olfato e do paladar, espirros, tosse, garganta inflamada, rouquidão, dor de cabeça e dor no corpo.

Como não existe antibiótico efetivo contra os vírus, o tratamento propõe atenuar os sintomas, oferecendo condições para a recuperação, como tomar muito líquido, fazer gargarejos com água morna, repouso, usar roupas leves.

foto 1

O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: 
A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde.

Diarréia por rotavirus:

O rotavirus é uma doença causada por sete tipos diferentes de sorotipos que são antigêncios diferentes, mas da mesma espécie microbiana. Porém, apenas três infectam o ser humano. Os principais sintomas são diarréia – que pode levar a desidratação -, vômitos e febre, além de problemas respiratórios, como coriza e tosse.

Transmissão

A transmissão pode ser fecal-oral, ou seja, o vírus é eliminado nas fezes do paciente, contamina a água ou alimentos, e pode entrar em contato com a pessoa através das mãos.

Prevenção

As principais medidas para evitar a rotavirose é a higiene das mãos, que pode ser feita com água e sabão ou álcool-gel, principalmente antes das refeições e após o banheiro. Além disso, ingerir sempre alimentos bem higienizados e água tratada é fundamental.

Bronquite:

bronquite é a inflamação dos brônquios, tubos que levam o oxigênio até os pulmões. Existe na forma aguda, quando sintomas como tosse, chiado no peito e dificuldade para respirar permanecem por no máximo algumas semanas, e na forma crônica, quando o problema acompanha o indivíduo pela vida toda.

A versão aguda atinge especialmente crianças e idosos, que estão mais suscetíveis ao ataque de vírus e bactérias — em algumas situações, ela é conseqüência de uma gripe, por exemplo. Pessoas alérgicas também estão no grupo de risco quando entram em contato com substâncias irritantes, como ácaro, pólen, poeira doméstica e fumaça.

No quadro crônico enquadram-se alguns portadores de asma e indivíduos com a doença pulmonar obstrutiva crônica, a DPOC, fortemente associada ao cigarro. Ela seria a união entre a bronquite e o chamado enfisema pulmonar. Caso haja fumante na casa a criança poderá se tornar fumante passiva e complicar o  quadro de doenças pulmonares e outras, disse a pediatra.

Crises de asma:

Durante uma crise de asma surgem sintomas preocupantes, como lábios roxos, chiado no peito e intensa dificuldade para respirar. Dessa forma, a pessoa que está sofrendo a crise pode ficar muito preocupada, agravando os sintomas.

Assim, para fazer os primeiros socorros adequados nestes casos é recomendado que:

  1. Acalme a pessoaque está com a crise de asma e ajude-a a sentar-se numa posição confortável;
  2. Peça para que a pessoa se incline ligeiramente para frente, colocando os cotovelos repousados nas costas de uma cadeira, se possível, para facilitar a respiração;
  3. Verifique se a pessoa possui algum remédio para asma, ou bombinha, e dê-lhe o medicamento;
  4. Chame uma ambulância rapidamente, ligando para 192, caso a pessoa deixe de respirar ou não possua uma bombinha por perto.
  5. No caso de a criança desmaiar e não estiver respirando, deve iniciar a massagem cardíaca para manter o coração funcionando e ajudar a salvar a vida da pessoa.

Nos casos em que não existe uma bombinha de asma por perto, é aconselhado ficar parado na mesma posição até a chegada da ajuda médica, para que o corpo não gaste rapidamente o pouco oxigênio que está entrando nos pulmões.

O diretor executivo da Astir, SGTPM Alan Mota diz que é importante socorrer a criança o mais rápido possível a uma unidade médica, em nosso caso o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Astir, que funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana,de acordo com a orientação da pediatra Dra. Kátia Bastos, finalizou.

 Fontes: Dra. Kátia Bastos/ SGT PM Alan Mota e os sites que seguem.

http://brasilescola.uol.com.br/doencas/resfriado.htm
https://www.bio.fiocruz.br/index.php/rotavirus-sintomas-transmissao-e-prevencao
https://saude.abril.com.br/medicina/o-que-e-bronquite-dos-sintomas-ao-tratamento/
https://www.tuasaude.com/primeiros-socorros-na-crise-de-asma/

Texto: Sites da fonte e Jornalista Wilson Souza
Foto: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro – Website