Os perigos da automedicação – Médica plantonista do Serviço de Pronto Atendimento (SPA) da Astir alerta

A médica, Rivani Neves, plantonista no Serviço de Pronto Atendimento (SPA), hoje (09/07/18, alerta sobre os perigos da automedicação.

Médica Rivani Neves

De acordo com Rivani, alguns pacientes com histórias de patologias (doenças) graves/ gravíssimas, após serem consultados, clinicamente e se for necessário exames complementares apresentam um quadro típico de AUTOMEDICAÇÃO.

O que é sintomatologia?

Na literatura médica, sintoma é qualquer alteração da percepção normal que uma pessoa tem de seu próprio corpo, do seu metabolismo, de suas sensações, podendo ou não consistir-se em um indício de doença. Sintomas são freqüentemente confundidos com sinais, que são as alterações percebidas ou medidas por outra pessoa, geralmente um profissional de saúde.

A diferença entre sintoma e sinal é que o sinal é aquilo que pode ser percebido por outra pessoa sem o relato ou comunicação do paciente e o sintoma é a queixa relatada pelo paciente, mas que só ele consegue perceber.

Quando de um atendimento de alguém por um profissional de saúde, compete ao profissional saber colher as informações necessárias ao pleno conhecimento das características dos sintomas.

Os riscos da automedicação

O uso de medicamentos de forma incorreta pode acarretar o agravamento de uma doença, uma vez que a utilização inadequada pode esconder determinados sintomas. Se o remédio for antibiótico, a atenção deve ser sempre redobrada. O uso abusivo destes produtos pode facilitar o aumento da resistência de microorganismos, o que compromete a eficácia dos tratamentos.

Outra preocupação em relação ao uso do remédio refere-se à combinação inadequada. Neste caso, o uso de um medicamento pode anular ou potencializar o efeito do outro.

O uso de remédios de maneira incorreta ou irracional pode trazer, ainda, conseqüências como: reações alérgicas, dependência e até a morte.

Como o médico avalia se é automedicação?

Cabe ao médico diagnosticar doenças, identificar sintomas e, a partir disto, indicar qual o melhor medicamento e a dosagem correta para que você fique bem. Automedicar-se traz riscos à saúde, pois a ingestão de substâncias de forma inadequada pode causar reações como dependência, intoxicação e até a morte. A receita médica é a garantia de que houve uma avaliação profissional para que determinado paciente utilize o medicamento.

A automedicação pode agravar doenças, já que a utilização de remédios sem a informação adequada pode esconder determinados sintomas. Além disso, há o risco da combinação errada de substâncias, que pode anular ou potencializar o efeito da outra.

O que é Anafilaxia, reação anafilática e sintomas?

 

É uma reação alérgica grave que se desenvolve rapidamente, dentro de um a dois minutos, e acontece quando a pessoa é exposta a algum produto alérgeno ao qual seu sistema imunológico desenvolveu sensibilidade. Esses alérgenos podem ser picadas de insetos, alimentos, medicação e entre outros.

Alguns dos sintomas que podem aparecer são erupção cutânea, pulso baixo, convulsões, incontinência urinária, perda de consciência, súbito ataque cerebral e “choque anafilático”, que pode ser fatal se não tratado rapidamente.

Uma vez que o corpo é exposto a substâncias que considera ser perigoso, ele ativa seu sistema imunológico responsável por produzir anticorpos. Entretanto, algumas pessoas têm uma reação exagerada desses anticorpos, o que acaba causando a anafilaxia.

Medicação

Os medicamentos mais conhecidos por causar anafilaxia são:

A maioria das pessoas sensíveis a estes medicamentos normalmente irá desenvolver a anafilaxia assim que começar o tratamento com o mesmo.

A MÉDICA ALERTA: NÃO TOME MEDICAMENTOS, CHÁS CASEIROS E OUTROS SEM RECEITUÁRIO MÉDICO, POIS PODEM SER PERIGOSOS PARA SUA SAÚDE, PRINCIPALMENTE ANTIBIÓTICOS, ANTIINFLAMATÓRIOS, XAROPES, ANTIALÉRGICOS ANTIHIPERTENSIVOS, TRANQUILIZANTES, ESTIMULANTES, ANTIDEPRESSIVOS, MEDICAMENTOS INJETÁVEIS, ENTRE OUTROS. A AUTOMEDICAÇÃO EM ALGUNS CASOS PODE LEVAR A ÓBITO POR ANAFILOXIA E/OU OUTRAS EMERGÊNCIAS MÉDICAS.

O diretor executivo da Astir, CB PM Alan Mota comunica os associados que o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) funciona 24 horas, 7 dias por semana com médico, equipe de enfermagem padrão, raios-x, laboratório de análises clínicas, carrinho de emergência, leitos de observação, Hospital Tiradentes, entre outros serviços para melhor atender o associado.

“O SPA conta ainda com ambulância, motorista socorrista 24 horas, técnico de enfermagem, médico de plantão e enfermeiro. Caso o médico decida transferir o paciente para hospital conveniado, de acordo com a gravidade do caso acompanhará o paciente a bordo na ambulância como prevenção para sua estabilização, até que outro profissional médico assuma o controle da situação de risco” concluiu Alan.

Fontes: Médica Rivani Neves/ CB PM Alan Mota/ https://educalingo.com/pt/dic-pt/sintomatologia/ http://www.blog.saude.gov.br/index.php/570-destaques/34296-cuidado-com-a-automedicacao/ https://www.endocrino.org.br/os-perigos-da-automedicacao/ https://minutosaudavel.com.br/o-que-e-anafilaxia-reacao-anafilatica-sintomas-e-tratamento/#o%20que%20%C3%A9%20anafilaxia

Texto: Jornalista Wilson Souza/ Sites da fonte
Fotos: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

Esta notícia foi visualizada 83 vezes