Médico da Astir orienta

O médico, Thiago Balbi, orienta os associados acerca de 2 patologias distintas, porém com alto risco para o paciente portador.

Médico Thiago Balbi

Tétano:

Tétano acidental é uma doença infecciosa não contagiosa, prevenível por vacina, causada pela ação de exotoxinas produzidas pelo Clostridium tetani, normalmente encontrado na natureza sob a forma de esporo, podendo ser identificado em pele, fezes, terra, galhos, arbustos, águas putrefatas, poeira das ruas, trato intestinal dos animais (especialmente do cavalo e do homem, sem causar doença), e que provocam quadro clínico de contraturas musculares, rigidez de membros, trismo e riso sardônico (dificuldade de abrir a boca) e de deambular. Todos esses sintomas, entre outros, são característicos da doença.

Transmissão

O tétano acidental não é uma doença transmitida de pessoa a pessoa. A transmissão ocorre, geralmente, pela contaminação de um ferimento da pele ou mucosa, com os esporos do bacilo. O período de incubação ocorre entre o ferimento (provável porta de entrada do bacilo) e o primeiro sinal ou sintoma. É curto: em média de 5 a 15 dias podendo variar de 3 a 21 dias. Nos casos em que o período de incubação é menor que 7 dias, o prognóstico é pior. Quanto menor for o tempo de incubação, maior a gravidade e pior o prognóstico.

Tratamento

Sempre que houver lesão da pele/mucosa, a pessoa deve lavar o local com água e sabão e procurar o serviço de saúde mais próximo para avaliar a necessidade de utilização de vacina ou soro. Se apresentar um dos sinais e sintomas característicos da doença, após lesão na pele/mucosas, procure com urgência a unidade ou equipe de saúde mais próxima. Lembre-se de explicar ao médico como ocorreu e o que causou a lesão.

O doente deve ser internado em unidade assistencial apropriada, preferencialmente em unidade de terapia intensiva (UTI) onde existe suporte técnico necessário ao seu manejo e suas complicações, com conseqüente redução das seqüelas e da letalidade.

Na indisponibilidade de leitos de UTI ou unidades semi-intensivas a internação deve ocorrer em unidade assistencial, em quarto individual com o mínimo de ruído, de luminosidade e com temperatura estável e agradável. Casos graves têm indicação de terapia intensiva. Os princípios básicos do tratamento do tétano são: sedação do paciente, neutralização da toxina tetânica, eliminação do C. tetani do foco da infecção, debridamento do foco infeccioso e medidas gerais de suporte.

O Hospital CEMETRON é referência no tratamento dessa patologia

 Prevenção:

 A principal forma de prevenção do tétano é vacinar a população desde a infância com a vacina antitetânica. Confira o esquema de proteção no  Calendário Nacional de Vacinação.

 O médico orienta: MANTENHA SUA VACINAÇÃO EM DIA!

 Lupus

 O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES ou apenas lúpus) é uma doença inflamatória crônica de origem auto-mune (o próprio organismo ataca órgãos e tecidos).

São reconhecidos dois tipos principais de lúpus: o cutâneo, que se manifesta apenas com manchas na pele (geralmente avermelhadas ou eritematosas e daí o nome lúpus eritematoso), principalmente nas áreas que ficam expostas à luz solar (rosto, orelhas, colo (“V” do decote) e nos braços) e o sistêmico, no qual um ou mais órgãos internos são acometidos.

Sintomas:

– lesões de pele: as lesões mais características são lesões avermelhadas em maçãs do rosto e dorso do nariz;
– dor e inchaço, principalmente nas articulações das mãos;
– inflamação de pleura ou pericárdio (membranas que recobrem o pulmão e coração);
– inflamação no rim;
– alterações no sangue podem ocorrer em mais da metade dos casos: diminuição de glóbulos vermelhos (anemia), glóbulos brancos (leucopenia), dos linfócitos (linfopenia) ou de plaquetas (plaquetopenia);
– menos freqüentemente observam-se inflamações no cérebro, causando convulsões, alterações do comportamento (psicose) ou do nível de consciência e até queixas sugestivas de comprometimento de nervos periféricos;
– inflamações de pequenos vasos (vasculites) podem causar lesões avermelhadas e dolorosas em palma de mãos, planta de pés, no céu da boca ou em membros;
– queixas de febre sem ter infecção, emagrecimento e fraqueza são comuns quando a doença está ativa;
– manifestações nos olhos, aumento do fígado, baço e gânglios também podem ocorrer em fase ativa da doença.

Diagnóstico:

O diagnóstico deve ser feito pelo conjunto de alterações clínicas e laboratoriais, e não pela presença de apenas um exame ou uma manifestação clínica isoladamente realizado pelo profissional médico!

Tratamento: (ATENÇÃO – APENAS O MÉDICO PODE REALIZAR O TRATAMENTO ADEQUADO, PORTANTO NÃO TOME MEDEICAMENTOS POR CONTA PRÓPRIA OU POR INDICAÇÃO DE TERCEIROS, PODE SER PREJUDICIAL A SUA SAÚDE, alerta o médico Thiago Balbi)

O tratamento do LES depende da manifestação apresentada por cada um dos pacientes, portanto, deve ser individualizado. Seu objetivo é permitir o controle da atividade da doença, a minimização dos efeitos colaterais dos medicamentos e uma boa qualidade de vida aos seus portadores.

Prevenção:

Evitar fatores que podem levar ao desencadeamento da atividade do lúpus, como o sol e outras formas de radiação ultravioleta; tratar as infecções; evitar o uso de estrógenos e de outras drogas; evitar a gravidez em fase ativa da doença e evitar o estresse é algumas condutas que os pacientes devem observar, na medida do possível.

O reumatologista é o especialista mais indicado para fazer o tratamento e o acompanhamento de pacientes com LES e quando necessários outros especialistas devem fazer o seguimento em conjunto.

O ST PM Mauro Seibert, vice-diretor executivo da Astir informa os associados que o ambulatório da associação, Porto velho, mantém médicos clínicos geral, diariamente e em caso de urgência e emergência o paciente deverá ser encaminhado para o Serviço de Pronto Atendimento, 24 horas, 7 dias por semana, com médico, equipe de enfermagem padrão, Hospital Tiradentes, Raios-x, laboratório de análises clinicas, ambulância, carro de apoio, outros profissionais de sobreaviso entre outros pertinente ao serviço de pronto atendimento, finalizou Seibert.

Fontes: Médico Thiago Balbi/ ST PM Mauro Seibert/ http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/tetano-acidental/ http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2200-lupus

Texto: Sites da fonte/ Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

 

 

Esta notícia foi visualizada 15 vezes