ASTIR - Associação dos Policiais Militares e Bombeiros Militares do Estado de Rondônia Malária: Médica pediatra da Astir alerta
Home / Notícias / Malária: Médica pediatra da Astir alerta

Malária: Médica pediatra da Astir alerta

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários, transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Apresenta cura se for tratada em tempo oportuno e adequadamente.

Médica pediatra Cintia Gomes

A maioria dos casos de malária se concentra na região Amazônica (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), área endêmica para a doença. Nas demais regiões, apesar das poucas notificações, a doença não pode ser negligenciada, pois se observa uma letalidade mais elevada que na região endêmica.

O seu tratamento é simples, eficaz e gratuito. A Malária pode evoluir para forma grave e até para óbito!

Medidas de prevenção e controle

Medidas de proteção individual

As medidas de proteção individual têm como objetivo principal reduzir a possibilidade da picada do mosquito transmissor de malária.

– Usar cortinados e mosquiteiros e, de preferência os impregnados com inseticidas de longa duração, sobre a cama ou rede. Além de ser uma medida de proteção individual tem efeito de controle vetorial quando usado pela maior parte da comunidade envolvida.

– Usar telas em portas e janelas e, quando disponível, ar condicionado.

– Evitar freqüentar locais próximos a criadouros naturais de mosquitos, como beira de rio ou áreas alagadas ao final da tarde até o amanhecer, pois nesses horários há um maior número de mosquitos transmissores de malária circulando.

– Diminuir ao mínimo possível as áreas descobertas do corpo onde o mosquito possa picar com o uso de calças e camisas de mangas compridas e cores claras.

– Usar repelentes à base de DEET (N-N-dietilmetatoluamida) ou de icaridina nas partes descobertas do corpo. Este também pode ser aplicado sobre as roupas. O uso deve seguir as indicações do fabricante em relação à faixa etária e a freqüência de aplicação.

Deve ser observada a existência de registro em órgão competente. Em crianças menores de 2 anos de idade, não é recomendado o uso de repelente sem orientação médica. Para crianças entre 2 e 12 anos, usar concentrações até 10% de DEET, no máximo 3 vezes ao dia.

A médica ALERTA: Não faça uso da automedicação, ou seja, não tome qualquer tipo de medicamento sem receituário médico ou do cirurgião-dentista, pois pode causar sérios danos à sua saúde, muitas vezes irreversíveis o que pode eventualmente evoluir para óbito, pontuou.

Tratamento:

O Ministério da Saúde, por meio de uma política nacional de tratamento da malária, orienta a terapêutica e disponibiliza gratuitamente os medicamentos antimaláricos utilizados em todo o território nacional, em unidades do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para o cumprimento dessa política, o Programa Nacional de Controle de Malária (PNCM) preocupa-se, constantemente, em revisar o conhecimento vigente sobre o arsenal terapêutico da malária e sua aplicabilidade para o tratamento dos indivíduos que dela padecem no Brasil. Pesquisadores, professores e profissionais de saúde de renomadas instituições brasileiras de ensino, pesquisa e assistência compõem um Comitê Técnico Assessor, oficialmente nomeado pelo Ministério da Saúde, com o objetivo de assessorar o PNCM na determinação da política nacional de prevenção e controle da doença.

Finalizado a médica orienta: O tratamento da malária em Porto Velho PE realizado através dos Hospitais Cosme e Damião e Cemetron, pois são especialistas e ainda tem os medicamentos próprios, grátis distribuídos pelo SUS.

O diretor executivo da Astir, SGT PM Alan Mota diz que em caso de urgência e emergência, o peque paciente dever ser encaminhado ao Serviço de Pronto Atendimento Astir, que trabalha a serviço da vida, 24 horas, 7 dias por semana, com médico, equipe de enfermagem padrão, outros profissionais de saúde de sobreaviso, entre outros. Caso o paciente necessite ser removido a enfermeira chefe segue o protocolo de acordo com a orientação médica, finalizou Alan.

Fontes: Médica pediatra Cintia Gomes/SGT PM Alan Mota/  https://saude.es.gov.br/malaria
Texto: Jornalista Wilson Souza/ Sites da fonte
Foto: Jornalista Wilson Souza