Infecção urinária – Médica da Astir esclarece

A médica da Astir, Rivani Neves, esclarece que infecção urinária é a infecção bacteriana mais comum no ser humano, principalmente entre as mulheres dos 20 aos 40 anos e as grávidas. Já os homens sofrem mais na primeira infância e depois dos 55 anos, sobretudo por distúrbios na próstata.

 

Dependendo do local em que os agentes invasores se instalam, a doença é chamada de vulvovaginite (abertura da vagina), cistite (uretra e bexiga) ou pielonefrite (rins). E, na hora do aperto, muita gente ignora o sinal do cérebro de que a bexiga está cheia e deixa para fazer xixi depois. O problema é que, ao não urinar, a uretra pode ficar mais suja e facilitar uma complicação.

Infecção urinária é a infecção bacteriana mais comum no ser humano, principalmente entre as mulheres dos 20 aos 40 anos e as grávidas.

Beber água é fundamental para prevenir inflamações e infecções, a Doutora Rivani recomenda de 2 a 3 litros ao dia. A hidratação ajuda a manter o aparelho ativo, com fluxo de urina normal e saudável. A água também é necessária para uma série de processos metabólicos e biológicos do organismo.

Outra dica importantíssima é que as pessoas devem prestar atenção na cor da urina, que precisa ser clara. Uma coloração mais amarelada pode ser falta de hidratação, alimentação ou decorrência do uso de medicamentos. A primeira urina do dia é mais escura porque à noite um hormônio secretado aumenta a absorção de água e a concentração do xixi.

Se houver sangue na urina, sinal de alerta: há 80% de chances de você precisar de tratamento. O sangue pode indicar infecções, doenças hereditárias (como rins policísticos), pedras nos rins, doenças de próstata, traumas e até tumores.

Portanto, sempre que você ou alguém da sua família detectar sangue na urina é preciso procurar um médico e fazer os exames indicados. Esse xixi pode aparecer com coloração avermelhada ou até marrom, quase preta.

A dica seguinte é sempre urinar depois do sexo. Isso porque o atrito e as bactérias envolvidas na relação podem contaminar a região pélvica da mulher. Ao fazer xixi, o aparelho urinário é exercitado e elimina grande parte das bactérias que podem ter entrado na uretra e ir em direção à bexiga. A própria vagina já concentra micro-organismos que podem causar infecção.

Devido ao forte calor e a umidade em nossa região, a médica recomenda evitar usar calças jeans por muito tempo, vestes intimas de preferência de algodão, o que evita infecção urinária.

Sabonetes íntimos também são úteis, mas devem ser usados na medida certa (até uma vez por dia), porque a vagina tem uma flora bacteriana importantíssima para manter o pH da região e proteger a mulher. Absorventes internos precisam ser trocados a cada 2 ou 3 horas, e não se deve dormir com eles.

Finalizando Doutora Rivani Neves recomenda:

 Não tome medicamentos sem receituário médico, principalmente, antibióticos e antiinflamatórios, pois pode ser perigoso o para sua saúde e causar resistência bacteriana, o que levará o médico a receitar medicamentos potentes.

 O CB PM Claudiomar, membro da diretoria recomenda os associados observar a sintomatologia da infecção urinária de acordo com o que a Médica da Astir, Rivani Neves descreveu acima. A Astir mantém de segundas às sextas-feiras profissionais médicos clínicos geral no ambulatório e em caso de urgência e emergência, o associado deve ser encaminhado para o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) que atende 24 horas, 7 dias por semana, com médico, equipe de enfermagem e outros profissionais de saúde de sobreaviso, completou Claudiomar.

Fontes: Rivani Neves – Médica clinica geral/ CB PM Claudiomar/ http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2011/09/infeccao-urinaria-afeta-mais-mulher-por-causa-da-anatomia-feminina.html

Texto: Jornalista Wilson Souza/http://glo.bo/nVyrLG
Foto: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro – Website

Esta notícia foi visualizada 131 vezes