ASTIR - Associação dos Policiais Militares e Bombeiros Militares do Estado de Rondônia Hipertireoidismo e Hipotireoidismo – Percentual da população do Brasil atingida por essas patologias segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Home / Notícias / Hipertireoidismo e Hipotireoidismo – Percentual da população do Brasil atingida por essas patologias segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Hipertireoidismo e Hipotireoidismo – Percentual da população do Brasil atingida por essas patologias segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Percentual da população do Brasil atingida por essas patologias segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia

Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia o percentual da população brasileira atingida por essas patologias são cerca de 10% das mulheres acima de 40 anos e em torno de 20% das que têm acima de 60 anos manifestam algum problema na tireóide. Porém é importante estar atento, pois todas as pessoas, independente de sexo e idade, estão sujeitas a alterações desta glândula.

Foto: SBEM

Algumas estatísticas demonstram que 1 em cada 5 mulheres que procuram seus ginecologistas para iniciar a terapia de reposição estrogênica apresentam, na verdade, problemas tireoidianos.

 

Conheça, abaixo, alguns sintomas de hipertireoidismo:

  • Dificuldade de dormir
  • Aceleração dos batimentos cardíacos
  • Intestino solto
  • Agitação
  • Muita energia, apesar de muito cansaço
  • Queda de cabelos
  • Calor e suor exagerado.
  • Menstruação irregular

Confira alguns sintomas do hipotireoidismo:

  • Depressão
  • Desaceleração dos batimentos cardíacos
  • Intestino preso
  • Menstruação irregular
  • Diminuição da memória
  • Cansaço excessivo
  • Dores musculares
  • Sonolência excessiva
  • Pele seca
  • Queda de cabelo
  • Ganho de peso
  • Aumento do colesterol no sangue
Foto meramente ilustrativa – Internet

Histórico

A palavra tireóide é originária do latim e significa forma de escudo. Em 1656, Thomas Warton escolheu essa denominação porque se acreditava que a única função da tireóide era estética, tornando o pescoço mais bonito.

Tireóide: auto-enxame

Se você apresenta um conjunto de sintomas, como os descritos a seguir, aprenda a fazer um auto-enxame.

O material necessário: Copo com água e um espelho (se possível, de cabo).

1. Segure o espelho e procure no seu pescoço a região logo abaixo do Pomo de Adão (popularmente conhecido como gogó). Sua tireóide está localizada aí.
2. Estenda a cabeça para trás para que esta região fique mais exposta. Focalize-a pelo espelho.
3. Beba um gole de água e engula.
4. Com o ato de engolir, a tiróide sobe e desce. Observe se há alguma protrusão ou nódulos na sua tireóide. Atenção: Não confunda a tireóide com seu Pomo de Adão. Repita este teste várias vezes até ter certeza.
5. Ao notar protrusões, procure seu endocrinologista.

Fonte: https://www.endocrino.org.br/hipertireoidismo-e-hipotireoidismo/

Transcrição: Wilson Souza/ Solicitação SGT PM RR Fábio Macedo Presidente do CONSAD
Fotos: Meramente ilustrativa e SBEM – Internet

As informações contidas nesta apresentação são de responsabilidade do site da fonte, ou seja, Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. A ASTIR, NÃO se responsabiliza pelo “conteúdo da fonte”.