EXPLICAÇÃO – Soros e vacinas o que são? Quais as diferenças? Sobiologia esclarece

Imagem meramente ilustrativa (Google)
Vacinas – prevenindo contra doenças
Para evitar algumas doenças provocadas por vírus e também por bactérias, existem as vacinas.

As vacinas induzem o nosso sistema imunitário a produzir anticorpos específicos contra um determinado microorganismo. Assim, no caso de um microorganismo invadir o corpo de uma pessoa previamente vacinada, os anticorpos já existentes em seu organismo impedem que a doença nele se instale. Por isso se diz que as vacinas são usadas para a prevenção de certas doenças.

As vacinas são introduzidas como microorganismos mortos ou atenuados, ou toxinas inativadas que eles produzem. Uma vez aplicados num indivíduo, esses agentes não tem condições de provocar a doença, mas são capazes de estimular o sistema imunitário a produzir anticorpos; o indivíduo então fica imunizado contra as doenças.

Já os antibióticos combatem infecções bacterianas, mas não tem efeito sobre os vírus. Em alguns casos, certos medicamentos retardam o desenvolvimento da doença, mas não levam a cura. No caso da gripe e da dengue, por exemplo, os medicamentos aplicados aliviam os desconfortáveis sintomas que elas provocam como dor de cabeça e febre, mas não combatem os vírus.

Por isso, o melhor a fazer contra as viroses é evitar o contagio dessas doenças; prevenir-se tomando vacinas, quando existentes para a doença que se quer prevenir e sempre com a devida orientação médica; e manter fortalecido o sistema imunitário, levando uma vida saudável. Isso inclui evitar certos hábitos (como o uso de fumo e bebidas alcoólicas, por exemplo), dormir e alimentar-se bem, além de adotar medidas higiênicas diversas como lavar as mãos principalmente antes das refeições, lavarem frutas e verduras e beber apenas água tratada.

 

Soros

Muitas vezes, o organismo de uma pessoa infectada não consegue produzir os anticorpos de que necessita, por não haver tempo hábil ou por se encontrar muito debilitada. Nesses casos, ela deve receber a aplicação de soros.

 

Vacinas e soros: existem diferenças?

Os soros diferem das vacinas por já conterem os anticorpos de que o organismo necessita e serem usados para curar certas enfermidades, em vez de preveni-las.

A preparação dos soros é feita com a aplicação de microorganismos mortos ou atenuados, ou ainda, de suas toxinas em animais como coelhos, cabras e cavalos. Esses animais podem também receber venenos de aranhas, escorpiões e cobras peçonhentas, por exemplo, em doses subletais, isto é, não mortais. Em todos esses casos, os animais passam a produzir os anticorpos. Então coleta-se parte do sangue do animal e, usando técnicas adequadas, os anticorpos são isolados e usados na produção de soros.

Existem, por exemplo, soros anti-rábicos (usados contra a raiva), soros antitetânicos (combatem o tétano, doença causada por um tipo de bactéria) e soros antiofídicos (combatem o veneno de cobras), entre outros.

O diretor executivo da Astir, CB PM Alan Mota recomenda os associados que em caso de emergência procure atendimento médico no Serviço de Pronto Atendimento (SPA), 24 horas, 7 dias por semana. O Hospital de referência para soro antiofídico (picada de cobras e outros animais peçonhentos) é o CEMETRON devido ser e única unidade de saúde que dispõe de vários tipos de soros. As vacinas estão disponíveis na rede básica de saúde (gratuitas), ou seja, nos postos de saúde e de atenção básica de saúde. “O nosso associado não fica sem socorro médico e dependendo do caso o médico de plantão tem total liberdade para internar, medicar ou encaminhar o paciente para os hospitais e clinicas conveniada em carro de apoio ou ambulância semi-UTI”, concluiu Alan

 

Fonte: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/virus2.php
Imagens meramente ilustrativas (Google)
Republicação, adaptação, distribuição e edição de texto: Wilson Souza
Legenda foto – CB PM Alan Mota – diretor executivo da Astir – Foto Wilson Souza
Formatação e publicação – Stanley Monteiro

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico, diagnóstico ou afirmação da Astir. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO ou SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

Esta notícia foi visualizada 418 vezes
Tags: ,