Dores músculo-esquelético, Atlas da saúde esclarece

As lesões de origem músculo-esquelético (músculos e articulações), principalmente traumáticas ou de início súbito, têm melhor prognóstico quando a intervenção ocorre na fase aguda.

Quando falamos de lesões músculo-esquelético, referimo-nos a afecções que podem afetar os músculos, as articulações, os tendões, os ligamentos, os nervos, os ossos e doenças localizadas do aparelho circulatório.

As lesões músculo-esquelético não só causam sofrimento e perdas de rendimento a nível pessoal, como também têm custos para as empresas e as economias nacionais, uma vez que qualquer trabalhador pode vir a sofrer de lesões músculo-esquelético. Contudo, estas lesões podem ser evitadas através de uma avaliação das tarefas que o trabalhador executa, na adoção de medidas preventivas e num controlo contínuo da eficácia dessas medidas.

A verdade é que a maioria das lesões músculo-esquelético é de origem profissional, cumulativas, resultantes da exposição repetida a esforços mais ou menos intensos ao longo de um período de tempo prolongado. Portanto, os sintomas surgem tardiamente. No entanto, podem também ter a forma de traumatismos agudos, tais como fraturas causadas por acidentes.

Estas lesões afetam principalmente a região dorso-lombar, a zona cervical, os ombros e os membros superiores, mas podem afetar também os membros inferiores. Algumas lesões músculo-esquelético, tais como a síndrome do canal cárpico, que afeta o pulso, são lesões específicas que se caracterizam por sinais e sintomas bem definidos. Outras se manifestam unicamente por dor ou desconforto, sem que existam sinais de uma lesão clara e específica.

Fatores de risco
São vários os fatores que podem contribuir para a manifestação de lesões músculo-esquelético: fatores físicos e biomecânicos, fatores organizacionais e psicossociais, fatores individuais e pessoais. Estes fatores podem exercer uma ação separadamente ou combinados.

Fatores físicos

  • Aplicação de força, por exemplo, levantar, transportar, puxar, empurrar, utilização de ferramentas;
  • Movimentos repetitivos;
  • Posturas forçadas ou estáticas, por exemplo, mãos acima do nível dos ombros ou posição sentada ou de pé durante muito tempo;
  • Compressão localizada exercida por ferramentas ou superfícies;
  • Vibrações;
  • Frio ou calor excessivos;
  • Iluminação deficiente susceptível, por exemplo, de causar um acidente;
  • Elevados níveis de ruído, susceptíveis de causar tensão física.

Fatores organizacionais e psicossociais

  • Trabalho exigente, falta de controlo sobre as tarefas executadas, baixos níveis de autonomia;
  • Baixos níveis de satisfação com o trabalho;
  • Trabalho monótono, repetitivo, executado a um ritmo rápido;
  • Falta de apoio por parte dos colegas, dos supervisores e das chefias.

Fatores individuais

  • Antecedentes clínicos;
  • Capacidade física;
  • Idade;
  • Obesidade;

Tratamento
Os objetivos da terapêutica são, essencialmente, aliviar a dor e reduzir a incapacidade. Para isso a abordagem deve ser multidisciplinar, isto é, ter em conta aspectos preventivos, a reabilitação através de fisioterapia e administração de fármacos que permitam uma recuperação mais rápida do doente. As lesões de origem músculo-esquelético (músculos e articulações), principalmente traumáticas ou de início súbito, têm melhor prognóstico quando a intervenção ocorre na fase aguda, especialmente as lesões musculares (roturas) e ligamentares (entorses).

Contudo, a prevenção continua a ser a melhor arma. Saiba como:

  • Evitar os riscos de lesões músculo-esquelético;
  • Avaliar os riscos que não podem ser evitados;
  • Combater os riscos na origem;
  • Adaptar o trabalho ao homem;
  • Adaptação à evolução tecnológica;
  • Substituir o que é perigoso pelo que é seguro ou menos perigoso;
  • Conceber uma política global de prevenção coerente, que abranja todas as cargas exercidas sobre o corpo;
  • Privilegiar as medidas de proteção coletivas relativamente às medidas de proteção individual;
  • Dar instruções adequadas aos trabalhadores.

O Presidente do Conselho Administrativo da Astir, SGT PM RR Fábio Macedo diz que a Astir mantêm profissionais médicos ortopedistas, de segunda a quinta-feira (semanalmente), com os consultórios instalados no Serviço de Pronto Atendimento (SPA). O associado em situação de urgência ou emergência será atendido pelo médico plantonista que fará os exames pertinentes à ocorrência apresentada pelo paciente. Caso seja necessária a presença do especialista em ortopedia, a enfermeira chefe fará contato com o mesmo que estiver de sobre aviso, em suma o nosso associado não fica sem atendimento. “A Astir disponibiliza Serviço de pronto Atendimento (SPA) 24 horas, 7 dias por semana, ou seja, o serviço prestado é ininterrupto”, finalizou Fábio Macedo.

Sistema Musculoesquelético

Nota: As informações e conselhos disponibilizados no Atlas da Saúde não substituem o parecer/opinião do seu Médico e/ou Farmacêutico.
Imagem: ShutterStock
Fonte: http://www.atlasdasaude.pt/publico/content/lesoes-musculo-esqueleticas
Adaptação, distribuição e edição de texto: Wilson Souza
Legenda foto: SGT PM RR Fábio Macedo (CONSAD)
Publicação e formatação no site: Stanley Monteiro (Web design/ gráfico e outros)

 

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o médico que é o profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado no site da fonte. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte. (Nota da assessoria de imprensa)

Esta notícia foi visualizada 8 vezes