DICA DE SAÚDE – Consumo de sal é elevado no Brasil: Entenda as diferenças

Segundo a indústria Brasileira, a população está consumindo, em média, 15g de cloreto de sódio diariamente, principalmente através da ingestão de alimentos industrializados. Países industrializados consomem cerca de 8 a 9g/ dia. A recomendação da Sociedade Brasileira de Cardiologia é de, no máximo, 5g de sal/ cloreto de sódio por dia.

Em 2010, projeto proposto pelo Ministério da Saúde, ANVISA e entidades da indústria alimentícia tinha o objetivo de reduzir o consumo de sódio dos brasileiros a menos de 2000mg/pessoa/dia até 2020. A população brasileira está ingerindo alimentos ricos em açúcares, gorduras e sal, o que tem grande influência no agravamento de doenças crônicas não transmissíveis, como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, dislipidemias e doenças coronarianas. Estima-se que 35% da população brasileira acima de 40 anos sejam hipertensas.

Estão na lista os seguintes produtos: pães (francês, de forma, bisnaguinha), caldos e temperos, laticínios (bebidas lácteas, queijos petit suisse e mussarela, requeijão), biscoitos (cream cracker, recheados, maisena), margarina, embutidos (salsicha, presunto, hambúrguer, empanados, lingüiça, salame, mortadela), macarrão instantâneo, bolos (bolos prontos e misturas para bolo), snacks (batata frita, salgadinhos de milho), derivados de cereais, refeições prontas (pizza, lasanha, sopas).

O importante é fazer uso com moderação. O nosso paladar é totalmente adaptável, portanto a redução do sódio nos alimentos pode ser feita de forma gradual. Algumas medidas podem ser tomadas para reduzir a ingestão como retirar o saleiro da mesa, utilizar temperos naturais para elaborar a comida, diminuir a ingestão de bebidas carbonadas e ingerir menos alimentos industrializados.

ENTENDA AS DIFERENÇAS

Atualmente, encontramos grande variedade de tipos de sal, mas qual a diferença entre eles?

– Sal de Cozinha ou “refinado”: é o mais utilizado na culinária. O iodo foi adicionado ao sal pela primeira vez em meados de 1920 para combater uma epidemia de hipertireoidismo e o bócio. Ele é processado para remover impurezas (reduzindo os teores de minerais), e por ter uma textura fina pode ser misturado de forma mais homogênea. Um grama tem 400mg de sódio.

– Sal light: redução no teor de sódio com 50% de cloreto de sódio e 50% de cloreto de potássio. Indicado para pessoas que têm restrição ao consumo de sódio. Entretanto, indivíduos com doenças renais não devem utilizá-lo.

– Sal marinho: é mais caro do que o sal de cozinha por ser raspado manualmente da superfície de lagos de evaporação. Não é tão processado, preservando mais os sais minerais. Um grama contém cerca de 420mg de sódio. Pode ser grosso, fino ou em flocos. Dependendo da região que é retirado e da composição de minerais pode ser branco, rosa, preto, cinza ou de uma combinação de cores.

– Sal do Himalaia: cor rosa por ser rico em cálcio, magnésio, potássio, cobre e ferro. Um grama contém 230mg de sódio.

– Sal Defumado: acinzentado, é defumado sobre chamas da madeira, dando sabor especial quando adicionado às preparações. Um grama contém cerca de 395mg de sódio.

– Sal do Havaí: coloração rosa avermelhada por causa da presença de uma argila havaiana chamada Alaea, rica em dióxido de ferro. Um grama possui cerca de 390 mg de sódio.

– Sal da Índia ou Negro: a presença de composto sulfúrico e ferro conferem um sabor sulfuroso. Um grama contém 380 mg de sódio.

– Flor de sal: Contém 10% mais de sódio, na elaboração são utilizados apenas os cristais retirados da camada superficial das salinas. Sabor mais intenso e textura crocante, indicado acrescentar após a preparação do alimento. Um grama contém 450 mg de sódio.

– Sal kosher: utilizado para preparar carnes kosher, por remover o sangue rapidamente. Não dissolve tão rápido quanto o sal de cozinha e não é iodado.

Fontes: G1/ http://www.asbran.org.br/noticias.php?dsid=1210
Imagens: Meramente ilustrativas

Transcrição, distribuição, adaptação, e edição de texto: Jornalista Wilson Souza
Formatação e publicação: Stanley Monteiro

Não considere quaisquer informações apresentadas nesta apresentação como aconselhamento médico ou diagnóstico. Você deve sempre consultar o seu médico ou profissional de saúde qualificado e especializado, antes de seguir qualquer TIPO DE ACONSELHAMENTO OU SE AUTOMEDICAR baseado nessas dicas. A Astir, não se responsabiliza pelo conteúdo do texto da fonte.

Esta notícia foi visualizada 59 vezes